Marchezan defende medidas de isolamento tomadas em Porto Alegre

Marchezan defende medidas de isolamento tomadas em Porto Alegre

Convidado pelo Lide-RS, prefeito salienta que o distanciamento social ainda é o melhor caminho

Eduardo Amaral

Marchezan foi o primeiro convidado de uma série de eventos do Lide

publicidade

O prefeito Nelson Marchezan Júnior voltou a defender as medidas de isolamento adotadas pelo governo municipal para combater a crise do coronavírus em Porto Alegre. Primeiro convidado de uma série de eventos organizados pelo Lide-RS, o prefeito salientou nesta quinta-feira que os dados a respeito da doença ainda são muito incipientes, e em razão disso, o melhor caminho é manter o isolamento social.

“Ninguém tem dados históricos, ninguém pode sequer pegar o ano passado, que ainda seria uma informação pífia, para ter uma decisão científica com evidências”, afirmou o prefeito. Desde o começo da crise, Marchezan vem tomando medidas bastante rígidas para garantir o isolamento da população. Em sua fala, deixou claro que a liberação total das atividades econômicas na cidade ainda está sob análise. “Ninguém tem o número de testes suficientes para ter dados estatísticos ou para fazer gestão da saúde pública no mundo, então esse é um fator que nos leva a ter muitas dúvidas e a prorrogar qualquer decisão”.

Marchezan também explicou, e defendeu, o decreto que suspendeu as aulas, publicado ainda no início da pandemia. “A gente tirou 300 mil pessoas de circulação, e quem tem filho sabe que ele vai para escola e a cada duas semanas ele terá um novo vírus ou uma bactéria. Então, um dos principais vetores mundiais são as crianças.” Ele fez uma retomada histórica das ações tomadas até aqui pelo governo, afirmando que elas foram feitas com base nas informações sobre a doença divulgadas por órgãos internacionais. “Com os dados mundiais a gente acabou avançando no comércio, indústria, bares, para chegarmos a situação drástica que temos hoje.”

Durante sua fala, Marchezan ainda lembrou ações do governo que foram paralisadas em razão da crise da Covid-19. Ele prevê que alguns projetos ainda vão seguir, mas os prazos agora estão indefinidos. “Tudo isso está sendo revisto agora por essa situação. A iluminação pública, que gente acha que vai se concretizar porque é um investimento garantido.” O prefeito disse que as análises a respeito da continuidade ou não do isolamento devem ser feitas até fim de abril.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895