Melo diz que Porto Alegre está preparada para retomada geral: "Não pode ter dois Rio Grandes"

Melo diz que Porto Alegre está preparada para retomada geral: "Não pode ter dois Rio Grandes"

Prefeito destacou a realização da Expointer, em Esteio, e cobrou decisão do Piratini sobre a liberação de eventos na Capital

Felipe Samuel

Melo voltou a criticar o governo do Estado pela demora da liberação de eventos

publicidade

Insatisfeito com a demora do Gabinete de Crise Estadual para decidir sobre a liberação de eventos em Porto Alegre, o prefeito Sebastião Melo voltou a criticar nesta terça-feira o governo do Estado. Melo afirmou que a Capital está preparada para a retomada das atividades do setor com todos os protocolos sanitários. E salientou que o segmento foi o primeiro a ser atingido pela pandemia e será o último a se recuperar do impacto econômico provocado pela suspensão das atividades. 

Ao justificar as cobranças ao governo do Estado, Melo destacou a realização da 44ª Expointer, em Esteio, e reforçou a necessidade de maior participação do governador Eduardo Leite. "Não pode ter dois 'Rio Grandes' do ponto de vista dos eventos. O Rio Grande do Sul tem que ter tratamento único do ponto de vista dos eventos, espero sinceramente que o governador se envolva mais com esse tema, pois parece que ele está afastado dessas decisões e está deixando mais para o Gabinete de Crise", observou. 

Ao garantir que a vacinação contra a Covid-19 deve se estender, na quarta-feira, para a faixa etária a partir de 17 anos, Melo destacou o avanço da imunização no município, que se aproxima de 95% da aplicação da primeira dose da população vacinável. "A cidade está muito preparada para uma retomada geral. Olhando diretamente para a questão da saúde, com protocolos sanitários, nós apresentamos um plano gradativo para o governo do Estado", salientou, em referência ao Plano de Liberação de Eventos elaborado pelos municípios da Região Metropolitana e da Capital e protocolado há dois meses. 

Apesar das dificuldades para a retomada dos eventos, a prefeitura espera que a liberação para o setor seja confirmada nos próximos dias. "Nenhuma grande empresa contrata eventos se não tiver segurança. Os eventos de 2022 precisam ser contratados agora, mas se não tem regras seguras como as empresas vão contratar? Isso está errado, e eu espero sinceramente que o governador mude a sua posição e decida o que ele decidiu lá na Expointer", assinalou. O governo do Estado não se manifestou sobre a possibilidade de retomada dos eventos na Capital.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895