Mesmo com ventania, seguem as buscas pelos bombeiros desaparecidos

Mesmo com ventania, seguem as buscas pelos bombeiros desaparecidos

Cuidados foram redobrados na a estrutura que ainda resta do prédio da Secretaria da Segurança Pública

Felipe Samuel

Seguem as buscas pelos dois bombeiros desaparecidos no local do incêndio que atingiu o prédio da Secretaria da Segurança Pública

publicidade

No quarto dia seguido de buscas pelos dois bombeiros desaparecidos no incêndio que atingiu o prédio da Secretaria da Segurança Pública, o Corpo de Bombeiros Militar (CBM) abriu neste domingo dois acessos na edificação, com duas rotas de trabalho simultâneas, para tentar incursão pela área delimitada a partir das indicações dos cães que atuam no resgate. Com o vendaval que atingiu a Capital durante o dia, os bombeiros redobraram os cuidados para atuar na estrutura que ainda resta do prédio.

Comandante do 1° Batalhão de Bombeiro Militar (BBM), tenente-coronel Eduardo Estevam Rodrigues explica que o trabalho de busca e resgate conta com 84 bombeiros militares nas ações para localizar o 2º sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós e o 1º tenente Deroci de Almeida da Costas.

"Estamos monitorando constantemente as condições climáticas do entorno para que não cause riscos excessivos e não venha a causar acidente maior aos nossos recursos humanos", afirma.

O objetivo é garantir a segurança do efetivo e a manutenção do trabalho contínuo de análise de engenharia da estrutura colapsada. Conforme Rodrigues, as equipes de busca e resgate vão seguir com os trabalhos 24 horas. A ação já está empregando no local também todos os equipamentos necessários para o escoramento e remoção de concreto e outros materiais do prédio localizado na rua Voluntários da Pátria, no bairro Floresta.

Drone da Polícia Federal

O CBM confirmou que a Polícia Federal está apoiando a operação. No sábado, a PF esteve no terreno e registrou imagens do prédio com uso de um drone. O material, coletado pelo setor técnico-científico da PF, é utilizado em um software da instituição que permite realizar um modelo em 3D da edificação. Essa técnica viabiliza um estudo mais aprofundado da estrutura que colapsou com o incêndio, de forma a avaliar as melhores opções de abordagem e emprego do efetivo no trabalho.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895