Molhe Oeste é liberado em Rio Grande

Molhe Oeste é liberado em Rio Grande

Obras de prolongamento dos braços de pedra estão prestes a serem concluídas

Carmem Ziebell / Correio do Povo

Molhe é liberado em Rio Grande

publicidade

As obras de prolongamento dos Molhes da Barra de Rio Grande estão prestes a serem concluídas. No molhe Oeste, localizado do lado do Cassino, a ampliação já foi terminada, o canteiro de obras e máquinas foram retirados do local e, na sexta-feira, o acesso ao longo braço de pedra foi liberado. Os vagoneteiros voltam a oferecer passeios de vagoneta pela plataforma da estrutura.

Na última quinta-feira, foi formalizada a entrega parcial das obras, que é a ampliação do molhe Oeste. Em reunião na Superintendência do Porto de Rio Grande (Suprg), foi assinado o termo de entrega e recebimento, formalizado pelo consórcio executor do serviço (Consórcio CBPO, Pedrasul, Carioca e Ivaí), Secretaria Especial de Portos (SEP) e Suprg.

Conforme José Evânio Figueiredo, fiscal das obras pela SEP, considerando a necessidade de os vagoneteiros retornarem ao trabalho, foi decidida a liberação do acesso ao molhe Oeste para eles, aos pescadores amadores e aos visitantes em geral.

Este molhe, que tinha extensão de 3,16 quilômetros, foi aumentado em 700 metros. O prolongamento consumiu 950 mil metros cúbicos de pedras, 1.555 tetrápodes (blocos de concreto) de 8 toneladas e 2.888 tetrápodes de 12,5 toneladas. Além da ampliação, foram recolocados os trilhos pelos quais se deslocam as vagonetas e recuperada a plataforma de concreto.

No molhe Leste, localizado do lado de São José do Norte, cuja extensão era de 4,2 quilômetros, o prolongamento é de 370 metros, mas não está concluído. Ainda falta a execução de 14 metros para chegar à extremidade estabelecida no projeto. Figueiredo diz que o molhe Leste está sujeito à ação mais violenta do mar, o que dificulta o trabalho. A expectativa é que as condições do mar melhorem com a proximidade do verão e o consórcio consiga terminar o aumento até meados de dezembro, finalizando as obras. A previsão anterior era concluí-las em fevereiro último.

O prolongamento dos molhes começou em 2001, foi interrompido em dezembro de 2002 e retomado em 2008. O valor das obras está em torno de R$ 580 milhões, recursos do governo federal.



Bookmark and Share

Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895