Nível do rio baixa, mas sobe número de famílias desabrigadas em São Sebastião do Caí

Nível do rio baixa, mas sobe número de famílias desabrigadas em São Sebastião do Caí

Retorno da chuva nos próximos dias preocupa município

Correio do Povo e Rádio Guaíba

Nível do rio baixa, mas sobe número de famílias desabrigadas em São Sebastião do Caí

publicidade

*Com informações de Guilherme Kepler da Rádio Guaíba

Após alcançar marca de 12,6 metros, o Rio Caí começa a retornar a sua média na manhã desta segunda-feira, em São Sebastião do Caí. De acordo com a Defesa Civil do município, a marca da água caiu para 11 metros desde o última atualização. No entanto, o número de famílias desalojadas subiu para 36 no Centro Integrado Navegantes. Ao todo, mais de 100 famílias precisaram sair de casa e buscar refúgio em residências de parentes e amigos.

A enchente que atinge, até o momento, 960 casas, alcança principalmente as localidades próximas ao Rio Caí, como os bairros Navegantes, Vila Rica e Várzea do Rio Branco. Não há previsão de retorno das famílias às suas casas, afirma o coordenador da Defesa Civil, Pedro Griebler.

A previsão de fortes chuvas na próxima terça e quarta-feira na região da Serra gaúcha preocupa a Prefeitura de São Sebastião do Caí. Esta chuva, afirma o prefeito municipal Clovis Duarte, fará um trajeto com destino ao Rio Caí que, no momento, não encontra-se totalmente em seu leito. "Estamos com a Defesa Civil preparada, com os servidores da prefeitura em alerta para que possamos dar assistência caso haja a possibilidade de mais famílias serem atingidas", ressalta Duarte.

Duarte destaca que o município está analisando a necessidade de decretar situação de emergência. Mas, o prefeito explica que a cidade ainda encontra-se dentro da capacidade de atendimento às vítimas da enchente. Para o prefeito, o projeto de um dique, colocando contenção nas duas laterais do Rio, seria a única medida para impedir que novas trajédias ocorram. No entanto, Duarte avalia inviabilidade financeira neste projeto.

A solução mais viável para o problema, segundo o prefeito, seria o deslocamento das famílias que vivem na localidade Ribeirinha para o Centro do município. "As famílias têm uma resistência muito grande de sair do seu bairro. Nós entendemos a situação deles, mas eu, sinceramente, não acredito em solução para este tipo de problema. Temos que conviver com a enchente e enfrentá-la da melhor maneira possível", destaca.

O município de São Sebastião do Caí está arrecando produtos de limpeza, cobertores, alimentos e colchões. As doações devem ser direcionadas ao Centro Social Egon Schneck, localizado na rua Pinheiro Machado (nº110).

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895