Nova análise da água do Guaíba deve ser divulgada em início de setembro

Nova análise da água do Guaíba deve ser divulgada em início de setembro

Empresa com atividades suspensas à beira do Guaíba entregou hoje defesa à Fepam

Bibiana Borba / Rádio Guaíba

Nova análise da água do Guaíba deve ser divulgada em início de setembro

publicidade

O Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) finalizou os trâmites para contratar o segundo laboratório do estado de São Paulo para investigar as causas das alterações da água de Porto Alegre. Técnicos do Centro de Qualidade Analítica (CQA), de Campinas, devem vir à Porto Alegre na próxima semana para coletar amostras do Guaíba e da água que chega às torneiras. Depois, a estimativa é de que o resultado das análises fique pronto em 10 a 15 dias úteis, com a divulgação do laudo em início de setembro.

• Laudo sobre água de Porto Alegre não aponta irregularidades, afirma Dmae

O primeiro laboratório verificou 132 parâmetros, entre os quais não encontrou a origem do problema. Desta vez, o estudo vai investigar 478 indicadores de possíveis contaminações. O problema do cheiro e gosto desagradáveis na água começou há mais de dois meses, especialmente na zona Norte da cidade, sem que os órgãos públicos tenham conseguido identificar a causa.

O Dmae ressalta, porém, que o número de reclamações diminuiu consideravelmente nos últimos dias e que a água nas estações de tratamento já é considerada normal. O cheiro persistente na atmosfera, na zona Norte da cidade, é atribuído à manutenção do material exposto pela Cettraliq, empresa que teve atividades suspensas pela Fepam (Fundação Estadual de Proteção Ambiental) há dez dias.

Investigação da Cettraliq

Embora não haja qualquer comprovação de influência, a Fepam mantém suspensas as atividades da Cettraliq por emissão excessiva de odores. A empresa, que trabalha na despoluição de resíduos industriais antes de despejá-los no Guaíba, entregou defesa hoje ao órgão estadual. O documento propõe um cronograma para as adequações exigidas, como o fechamento de tanques onde os efluentes industriais são mantidos a céu aberto.

Não há previsão da Fepam para que a unidade seja liberada a voltar a funcionar. Vistorias regulares são feitas e o órgão garante que não houve atividade irregular durante a suspensão. Durante o período de desativação da Cettraliq, o Departamento de Esgotos Pluviais (Dep) foi acionado para a limpeza de redes na região.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895