Passaporte vacinal para eventos será obrigatório no RS a partir de segunda-feira

Passaporte vacinal para eventos será obrigatório no RS a partir de segunda-feira

Estabelecimentos gaúchos têm até o dia 17 de outubro para se organizarem e cumprirem exigências determinadas pelo governo estadual

Christian Bueller

Passaporte vacinal será exigido em vários lugares a partir de segunda no RS

publicidade

Entra em vigor no Rio Grande do Sul, na próxima segunda-feira, dia 18 de outubro, a exigência de comprovação de imunização contra a Covid-19 no acesso a atividades coletivas, divididas em cinco grupos pelo governo do Estado. O passaporte vacinal é recomendado desde o dia 1º deste mês, mas os estabelecimentos ganharam um prazo até domingo, 17, para se organizarem e cumprirem exigências. Até lá, poderão seguir os protocolos anteriores.

Após o prazo de transição criado pelo Piratini, a comprovação será obrigatória em competições esportivas, ou seja, quem quiser entrar em estádios de futebol, terão que apresentar o documento. Locais de eventos sociais, infantis e de entretenimento, como casas noturnas, por exemplo, também exigirão a vacinação.

Feiras e exposições corporativas e similares, assim como apresentações em shows, cinemas, teatros, casas de espetáculos e similares, estão na lista. Por fim, parques temáticos e de diversão e similares, situações consideradas atividades de alto risco de contaminação por coronavírus, completam os grupos de atividades estipulados pela administração estadual.

O comprovante de vacinação oficial pode ser obtido no aplicativo Conecte SUS ou por outro meio comprobatório, como caderneta ou cartão de vacinação emitido pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) ou outro órgão governamental.

Os estabelecimentos que já estiverem prontos para as novas regras poderão adotá-las de forma imediata. Estádios, por exemplo, se quiserem ocupar até 30% do local, sem limite máximo de pessoas, deverão exigir o certificado de vacinação dos torcedores com o número de doses conforme o calendário vacinal estadual. Grêmio e Inter já recebem público em seus jogos em casa, mas a comprovação de recebimento das doses contra a Covid-19 é exigida. 

Festas e turismo 

Já as casas noturnas, bailes, eventos sociais e festas infantis que quiserem abrir pista de dança deverão obrigatoriamente pedir comprovação de vacinação. Além disso, também deverão exigir testagem caso tenham público de 401 a 800 pessoas, assim como eventos corporativos com público de 2.501 a 10 mil pessoas.

Caso não peçam exame negativo para Covid ou a comprovação da vacinação, festas não poderão ter pista de dança e devem manter a antiga ocupação de até 350 pessoas, e as feiras corporativas deverão manter o antigo limite de 2,5 mil participantes.

Estabelecimentos turísticos que exigirem o passaporte de vacinação deverão ter rígido controle da ocupação, sendo até 80% da lotação autorizada no alvará ou PPCI para locais com Selo Turismo Responsável do Ministério do Turismo (MTur) e até 60% da lotação nos que não têm a certificação federal.

Exemplos em outros países

Vários países adotaram o passaporte vacinal como uma medida obrigatória para diferentes públicos. Nos Estados Unidos, já é uma realidade desde agosto. Na Inglaterra, as casas noturnas e outros locais com grandes multidões exigem que os clientes apresentem prova de vacinação completa desde setembro.

Já no Canadá, as vacinas são exigidas para clientes de negócios não essenciais, como restaurantes e cinemas. Na Grécia, como parte das novas medidas a serem implementadas, apenas clientes vacinados serão permitidos em bares, cinemas, teatros e outros espaços fechados. O quarto país mais populoso do mundo, Indonésia, tornou as vacinas obrigatórias em fevereiro, ameaçando multas de 5 milhões de rúpias (357 dólares).

Audiência pública

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente, presidida pela deputada Zilá Breitenbach (PSDB), aprovou, nesta quarta-feira, a realização de audiência pública, proposta pelo deputado Tenente-Coronel Zucco (PSL), sobre a necessidade de passaporte vacinal contra a Covid-19 para acesso a locais públicos ou privados no Estado.

Foram sugeridos como convidados representantes do Ministério da Saúde, da Secretaria da Saúde do Estado, do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers), do Ministério Público do Estado e da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Rio Grande do Sul.

O deputado estadual Luiz Marenco (PDT) propôs a adoção de um passaporte vacinal para acesso à Assembleia Legislativa. A decisão final será tomada em reunião da Mesa Diretora no dia 19 de outubro. O parlamentar sugere que apenas pessoas imunizadas contra o coronavírus e com o certificado nacional de vacinação possam acessar o prédio.

Cronograma para exigência de vacinação:

  • 40 anos ou mais: esquema vacinal completo a partir de 1º de outubro.
  • 30 a 39 anos: primeira dose ou dose única de 1º a 31 de outubro e esquema vacinal completo a partir de 1º de novembro.
  • 18 a 29 anos: primeira dose ou dose única de 1º outubro a 30 novembro e esquema vacinal completo a partir de 1º de dezembro.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895