Porto Alegre aplica a segunda dose de Coronavac em pessoas com 69 anos ou mais

Porto Alegre aplica a segunda dose de Coronavac em pessoas com 69 anos ou mais

Portadores de comorbidades com mais de 35 anos seguiram sendo vacinados contra a Covid-19 na Capital

Taís Teixeira

Segunda dose da Coronavac começou a ser aplicada em pessoas com 69 anos ou mais em Porto Alegre

publicidade

A aplicação da segunda dose da vacina Coronavac para pessoas com 69 anos ou mais começou nesta quinta-feira em Porto Alegre. Esse público pode buscar vacinas em 12 unidades de saúde e na tenda instalada junto ao Shopping Bourbon Country, na zona Norte da Capital. O fluxo de idosos que buscavam a segunda imunização foi normal.

Na unidade de saúde Rubem Berta, na zona Norte, houve movimentação, mas não chegou a formar filas. O tempo de espera, desde a apresentação documental até a aplicação, era em média de dez minutos. O local disponibilizou 450 doses da vacina Coronavac.

Muitas pessoas com idade inferior à faixa etária definida foram ao local na tentativa de receber a segunda dose. Uma delas é a aposentada Marlene Vieira da Silva, que completa 69 anos no próximo domingo. Mesmo assim, não conseguiu se vacinar. “Vou ter que voltar amanhã”, conclui alertando que o prazo da segunda dose venceu há cerca de 15 dias.

O motorista de aplicativo Fernando Vieira levou o tio avô, um senhor cadeirante de 70 anos, para ganhar a segunda dose. “ É a melhor sensação possível”, declara.

Com o prazo da segunda dose vencido desde 27 de abril, a aposentada de 70 anos, Ilza Maria Vaqueiro Santos, não teme pela ineficácia da vacina. “ Estou tranquila que vai fazer o mesmo efeito, eu me atualizo ouvindo especialistas e tenho fé em Deus”, afirma.

Na unidade de saúde Morro Santana, a manhã foi tranquila. A enfermeira do local, Caroline Vargas, acredita que o frio fez os idosos chegarem um pouco mais tarde. Ela informou que a unidade disponibilizou 550 doses de Coronavac para a segunda imunização e 980 de Astrazeneca para a primeira dose em portadores de comorbidades com idade a partir de 35 anos e pessoas com 60 anos ou mais.

O aposentado de 69 anos, Ivo Faller, veio garantir a segunda dose, atrasada desde o dia 28 de abril. Embora aposentado, segue trabalhando como zelador e por isso estava ansioso para concluir o processo de vacinação. “ Só de estar na fila já estou tranquilo”, relata.

O aposentado de 70 anos, José Luiz Souza Pinto, que também não pode se vacinar no dia 28 de abril, conforme previsto na carteira, está tranquilo. “ Satisfeito de me vacinar”, ressalta.

A previsão da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é de ampliar a faixa etária da segunda dose de Coronavac para 67 anos a partir de sexta-feira. Para aplicação da segunda dose, é necessário levar documento com CPF e a carteira de vacinação Covid-19.

Segue vacinação em portadores de comorbidades com mais de 35 anos

Vacinação para pessoas com 35 anos ou mais portadoras de comorbidades seguiu nesta quinta-feira em 33 unidades de saúde, na tenda do estacionamento externo do Bourbon Country, no drive-thru da PUCRS e em 21 farmácias parceiras da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em Porto Alegre. 

O segundo dia de vacinação para esse grupo não registrou fluxo intenso em muitos locais como na unidade de Saúde Passo das Pedras I, no bairro Rubem Berta. Neste local, a vacinação para esse público chegou a ser separada e organizada em uma igreja, mas a procura foi bem baixa. Até às 10h, apenas 22 pessoas receberam a primeira dose da Astrazeneca.

O motorista de ônibus, Edmilson Lopes Souza, de 49 anos, já teve Covid-19 e sente alívio em receber a primeira dose da Astrazeneca. “ Faço a linha Porto Alegre- Alvorada e vice-versa, transporto cerca de 300 pessoas por dia, um número que já foi maior, e me senti mais seguro  já que estou num trabalho de risco”, manifesta.

Na unidade de saúde Jardim Leopoldina, a procura também foi fraca. Desde quarta-feira, foram disponibilizadas 892 doses de Astrazeneca para esse público, sendo que ontem, apenas 73 doses foram aplicadas.

A gerente administrativa, Patrícia dos Santos, de 41 anos, recebeu a primeira dose. “ Fico aliviada por mim, mas penso que o ideal é que essa vacina fosse acessível para todos”, entende.

A cuidadora de idosos, Patrícia Bertolo Simon, de 49 anos, tem pressão alta. Ela e o esposo tiveram Covid-19. Apesar de ser cuidadora, ela não conseguiu se vacinar antes. “ Mesmo sendo certificada, alegaram que faltava requisitos”, explica.

Sem conseguir a imunização como profissional da área da saúde, ela acabou sendo afastada do trabalho. Agora imunizada, espera mudar essa situação. “ Quero conseguir uma recolocação no trabalho”, enfatiza.

Além desse grupo, a primeira dose também está disponível para idosos com mais de 60 anos. Para tomar a primeira dose, é necessário apresentar comprovante de residência em Porto Alegre e documento de identidade com foto. Pessoas com comorbidades devem apresentar ainda original e uma cópia do laudo médico, do atestado, da prescrição de medicamento ou de exames.

Até quarta-feira, foram imunizadas 445.221 pessoas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19, em Porto Alegre.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895