Porto Alegre tem menor quantidade de leitos livres de UTI desde março

Porto Alegre tem menor quantidade de leitos livres de UTI desde março

Ocupação de Unidades de Terapia Intensiva na Capital chegou a 93,9% nesta quarta-feira

Felipe Samuel

Nesta quarta-feira, rede hospitalar da Capital contava com apenas 75 leitos vagos

publicidade

O aumento dos casos relacionados ao novo coronavírus e das internações em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) voltaram a pressionar o sistema de saúde, que nesta quarta-feira registrou ocupação de 93,99% dos leitos de UTI em Porto Alegre. Do total de 779 leitos operacionais, 704 estavam ocupados. Os casos relacionados à Covid-19 somavam 319, sendo 290 casos confirmados para a doença e 29 casos com diagnóstico suspeito do novo coronavírus. Com apenas 75 leitos livres, a rede hospitalar não registrava índice tão baixo desde 20 de março, quando havia apenas 56 leitos disponíveis.

Até o começo da noite, conforme a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), pelo menos 19 pessoas que testaram positivo para a doença aguardavam em emergências para internação em leitos de UTI. Além delas, outras 39 sem diagnóstico de Covid-19 também esperavam por leitos. Quatro hospitais operavam com capacidade total, Moinhos de Vento, Ernesto Dornelles, Vila Nova e Independência. Referências no atendimento de pessoas infectadas com a doença, Clínicas, Nossa Senhora da Conceição, Mãe de Deus e São Lucas registravam taxa de ocupação superior a 90%.

O avanço da doença também se refletiu nos índices no Rio Grande do Sul, onde a taxa de ocupação de UTIs voltou a crescer e atingiu 83,2% de lotação. Do total de 2.544 leitos, 2.116 estavam ocupados. Pacientes relacionados à Covid-19 somavam 51,1% do total de internações, com 898 casos confirmados e 185 com diagnóstico suspeito. Leitos privados apresentavam lotação total, com 673 pacientes, enquanto os leitos SUS registravam ocupação de 76,5%, equivalente a 1.431 pessoas.   


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895