Portos públicos do RS adotam protocolos de prevenção ao Covid-19

Portos públicos do RS adotam protocolos de prevenção ao Covid-19

Nos locais, o uso de máscara é obrigatório e não é permitido o desembarque de nenhum membro de tripulação estrangeira em solo brasileiro

Christian Bueller

Porto de Rio Grande adota protocolos de prevenção à Covid-19

publicidade

Incluídos como serviços essenciais em operação durante a pandemia, os portos públicos do RS (Porto Alegre, Pelotas e Rio Grande), assim como os privados, atendem às medidas de contenção da propagação do novo coronavírus, conforme orientações das autoridades sanitárias e do governo federal. Todos que acessam as instalações portuárias passam por verificação corporal. O uso de máscara é obrigatório e não é permitido o desembarque de nenhum membro de tripulação estrangeira em solo brasileiro.

Os funcionários respondem a questionários sobre a Covid-19. Dos dias 18 a 24 de abril, foram entrevistados 868 trabalhadores portuários e caminhoneiros. Foi verificada a temperatura de 3.688 caminhoneiros no Portão 2 e de 5.500 pessoas que acessaram o caís público pelas catracas. De todos os entrevistados e examinados, nenhum apresentou os sintomas do Covid-19, ou gripe, tais como febre, tosse e mal-estar ou qualquer outro sintoma. Integrantes do grupo prioritário da segunda fase da Campanha de Vacinação contra a influenza, 165 trabalhadores portuários foram vacinados na sexta-feira e outros 156 na última segunda-feira.

Somente a linha de frente dos funcionários se desloca aos portos. Funções administrativas são executadas via home office. Mas ao contrário do que o cenário poderia apontar, o número de embarcações que chegaram ao RS aumentou se comparar março de 2020 com o mesmo período do ano passado. No Porto de Rio Grande, por exemplo, foram 245 contra 231 de 2019. O diretor superintendente Fernando Estima, ressalta que é um dos compromissos do Governo do Estado: não deixar os portos pararem durante essa pandemia. “Estamos ajudando na segurança alimentar, e prova disso são as exportações de gado e soja que estamos fazendo”, explica.

Recentemente, já me meio à pandemia, 20 mil cabeças de gado de várias regiões do RS embarcaram de Rio Grande em direção à Jordânia. Segundo a operadora responsável pelo carregamento da embarcação, a empresa Sagres, antes de chegar ao local da atracação, o navio foi inspecionado e passou por uma série de protocolos de fiscalização. Ações como esta cumprem determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Ministério da Saúde, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Receita Federal e da Autoridade Portuária do Porto do Rio Grande.

Já, o Porto da Capital aguarda uma embarcação chegar a Porto Alegre somente no dia 3 de maio. Segundo o chefe da divisão do porto, Régis Oppelt, a carga é de fertilizantes, tipo de produtos dos mais comuns presentes nas importações do porto. “Houve algumas mudanças devido à Covid-19, mas de modo geral, os pedidos são feitos com meses de antecedência”, conta. São poucos os trabalhadores no local, mas todos sob as orientações do Ministério da Saúde e governo do Estado, e alguns trabalhando de forma remota.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895