Postos de saúde de Porto Alegre registram filas por atendimento

Postos de saúde de Porto Alegre registram filas por atendimento

Postão da Cruzeiro operava com redução de funcionários

Correio do Povo e Christian Bueller

Postão da Cruzeiro operava com redução de funcionários

publicidade

* Com informações de Samantha Klein / Rádio Guaíba

O grande volume de pessoas que esperavam atendimento em postos de saúde de Porto Alegre chamou a atenção nesta segunda-feira. No Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul (PACS), os pacientes ficaram ao sol, em fila única, esperando atendimento. 

Os servidores do local alegam que a redução de pessoal, agravada pela pandemia, tem precarizado o serviço disponibilizado. “Os profissionais estão exaustos, sem férias, em regimes de plantão estafantes”, pontua o diretor do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), Alberto Terres.

Nesta segunda-feira, o PACS contava com apenas dois médicos e dois técnicos em enfermagem disponíveis na tenda Covid, garantiu. Na sexta-feira, a situação era semelhante. Segundo João Ezequiel, que também é diretor da entidade, mais de 20 pacientes com suspeita de Covid-19 foram mandados pra casa por falta de profissionais no local. 

A mesma condição de filas foi registrado no posto de Saúde que atende ao bairro Bom Jesus, na zona Norte de Porto Alegre. No local, a população esperou em fila, em pé, na rampa de acesso à porta principal. Na região Central da Capital, a situação foi a mesma. No Posto de Saúde Modelo, os pacientes formaram uma fila que saiu do portão principal do local e se estendeu pela calçada rua Jerônimo de Ornelas. Na contramão, a procura por vacinação no Modelo foi baixa nesta segunda-feira. 

Fila no Posto de Saúde Bom Jesus | Foto: Alina Souza

Profissionais do Postão da Cruzeiro prostestam

Trabalhadores da Saúde e funcionários do Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul (PACS) realizaram um protesto no começo da tarde desta segunda-feira. Em meio ao aumento de infecções por Covid e busca por atendimento e internação na Capital, também foi registrada a elevação do total de casos entre os funcionários do Postão. Conforme o Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), desde o começo do ano, 22 servidores foram testados e, destes, 9 positivaram para o vírus e dois aguardam o resultado.

Além disso, há casos graves em atendimento no espaço para casos suspeitos de infecção pelo vírus. Outra reclamação é a falta de estrutura em alguns espaços do Postão. É o caso da própria tenda montada para a pandemia: em pleno verão, não há ar condicionado. Outro problema ainda mais grave é a situação de pacientes que aguardam remoção para leitos de UTI. São pelo menos duas pessoas que deveriam estar internadas em hospitais.

Os trabalhadores alegam ainda estar aguardando por resposta a pedidos de reuniões com o secretário da Saúde, Mauro Sparta. Dois ofícios foram encaminhados desde janeiro.

Em manifestação ao ato de hoje, a Secretaria da Saúde informou que “estão sendo feitos todos os esforços administrativos e operacionais para dar conta deste aumento de demanda, para que a população tenha o atendimento apropriado”. A Pasta garante que todos os servidores já receberam vacinação contra a Covid-19.

Ainda, na nota, explicou que a procura por leitos “é intensa e deve continuar neste ritmo por, pelo menos, duas semanas. A SMS sabe que os servidores estão empenhados e mesmo sobrecarregados estão dando o melhor de si”


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895