Prefeitura de Porto Alegre amplia alerta para moradores das ilhas devido a risco de cheia

Prefeitura de Porto Alegre amplia alerta para moradores das ilhas devido a risco de cheia

Quase todos rios que desembocam no Guaíba estão sob cheia

Correio do Povo

Dona de casa Fabiane Soares espera que a chuva termine para evitar cheia como as de 2015

publicidade

A chuva ininterrupta que atinge o Rio Grande do Sul desde o começo da semana amplia o alerta dos moradores das ilhas Grande dos Marinheiros, Pintada, Pavão e Flores. Nestes locais, segundo o Centro Administrativo Regional das Ilhas (Car Ilhas), vivem aproximadamente entre oito e dez mil pessoas.  O Centro Integrado de Comando da Cidade de Porto Alegre (Ceic) informou que é muito alto o risco de cheia do Guaíba nas ilhas nos próximos dias e no começo da próxima semana com prováveis inundações. Quase todos rios que desembocam no Guaíba estão sob cheia. A principal preocupação é com o rio Jacuí, em razão da chuva de 300/400 mm no Centro do Estado.

Moradora da rua Nossa Senhora Aparecida, na ilha Grande dos Marinheiros, a dona de casa Fabiane Soares disse que espera que não chova por muito tempo. “No ano passado, foi uma tristeza perdemos tudo com o alagamento da nossa casa”, explicou ela lembrando que a região em outubro de 2015 foi atingida pela segunda enchente da história da região. Fabiane afirmou que a família torce para que a água do Guaíba não suba mais.

Já Juvenal da Silva, residente na rua João Inácio da Silveira, ressaltou que todos na ilha Grande dos Marinheiros estão em estado de alerta em razão da chuva dos últimos dias no Estado. Hoje pela manhã, as equipes da Defesa Civil de Porto Alegre estiveram novamente nas quatro ilhas monitorando o nível do Guaíba.

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul informou na terça-feira que 50 municípios foram atingidos pela instabilidade. Ao todo foram 1.394 residências afetadas e cerca de 400 famílias deixaram suas casas, sendo que algumas foram para abrigos e outras para residências de familiares ou amigos. As equipes de Defesa Civil seguem prestando assistência nos locais onde a situação está mais crítica, com a priorização do socorro às vítimas.

A meteorologia prevê para quinta-feira a possibilidade de diminuição da chuva, mas ainda segue o estado de atenção da Defesa Civil e o alerta devido ao elevado volume de chuvas e suas consequências nas bacias hidrográficas. As temperaturas deverão registrar a mínima de 13 e a máxima de 25 graus. Na sexta-feira, o sol já predomina em praticamente todo o Estado. Os termômetros oscilam entre 8 e 25 graus.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895