Primeiro domingo de fevereiro tem sol e praias lotadas no Litoral Norte

Primeiro domingo de fevereiro tem sol e praias lotadas no Litoral Norte

Temperatura chegou a 27ºC em dia agradável à beira mar

Chico Izidro

Banhistas lotaram praias no primeiro domingo de fevereiro

publicidade

 O primeiro domingo de fevereiro no Litoral Norte foi de praias lotadas por causa do forte calor – a temperatura chegou aos 27 graus. E nem mesmo o forte vento fez com que os veranistas deixassem de ir à beira do mar. No Balneário Pinhal, a praia amanheceu muito suja  por causa de uma festa religiosa acontecida no sábado à noite. Porém, em questões de minutos funcionários da Prefeitura Municipal fizeram a limpeza, o que espantou alguns banhistas, que se admiraram com a rapidez.

“Estão fazendo a limpeza muito rapidamente. Muito eficientes”, elogiou Melissa Fuhrmann. Já o representante comercial Fernando Pires também achou eficaz o trabalho para deixar o ambiente praiano bonito. Ele fez uma caminhada pela beira do mar e planejava depois tomar um banho. “A água está mais quentinha neste verão”, comparou Pires, que ficará no litoral até a próxima sexta-feira.

O casal Rogério Daniel Kremmer e Andréa Vogt, de São José do Sul, aproveitaram o final de semana para trazer a filha pequena Alice, de um ano e meio, para conhecer Cidreira. Eles chegaram no sábado e ainda no domingo retornariam para sua cidade natal. “Este final de semana está ótimo. No sábado a água estava verde, limpa. E hoje (domingo), mesmo o vento não está atrapalhando. E a Alice está animada. Logo pela manhã ela correu até a porta e ficou apontando para o mar, pois queria vir brincar na areia”, emocionou-se Andréa. “E toda esta animação vai fazer a gente passar o dia aqui”, garantiu.

Autismo em Tramandaí

A beira-mar em Tramandaí no sábado foi palco de um workshop diferente, destacando um assunto importante, o autismo. “Falando sobre Autismo na Praia”  foi organizado pela entidade Psicocentro, de Osório, levando especialistas, como psicólogos, psicopedagogos, fonoaudiólogos e outros profissionais da área da saúde para explicar aos veranistas detalhes da doença.

“Queremos orientar aos pais para diagnosticar se seus filhos podem ser autistas. Mostramos como identificar os sinais”, destacou a psicóloga Simone Hoffmann. “É muito importante o diagnóstico precoce dos sinais e dos sintomas de risco para o desenvolvimento da doença, pois quanto mais cedo a criança for diagnosticada, melhores são os resultados em relação ao desenvolvimento cognitivo, linguagem e habilidades sociais”, explicou.

Simone enumerou alguns sinais de autismo, como dificuldade em se relacionar com crianças da mesma idade, ter sensibilidade a alguns sons, apego a objetos diferentes do habitual, dificuldade com a alteração da rotina, falta da consciência de perigo. A psicóloga destacou que uma criança pode ter autismo moderado ou grave.

“Existem, por exemplo, crianças com uma hipersensibilidade incrível, com dificuldades  até de pisar na areia da praia, ou até com alimentos. Mas felizmente o mundo está mudando e as pessoas estão aprendendo a lidar com as diferenças”, agradeceu. Simone ressaltou que estão sendo preparados vários projetos para abril, considerado o mês oficial do autismo.  

Polícia Civil realiza atividade para crianças

“Temos o objetivo de fazer com que as pessoas mudem o conceito negativo em relação à polícia”, afirmou a chefe de polícia estadual Nadine Amflor em relação ao projeto da Polícia Civil com as crianças realizado no sábado, em Capão da Canoa.  “Sabe aquela frase: olha que a polícia vem te pegar? Ela é completamente negativa com a nossa atividade e faz com que as pessoas adquiram uma ideia errada da gente”, ressaltou a policial.

Assim, mais de 30 crianças, de zero a 13 anos, receberam a atenção na beira do mar, ao lado da tenda do Sesc, no antigo Baronda,  onde fizeram exercícios físicos com orientação de um professor, passeios de mini-bug e também orientações de como é o trabalho da Polícia Civil. E todas ganharam medalhas por sua participação nas atividades. “Queremos que elas criem vínculo com a gente e não medo, não pensem na polícia como um órgão repressor, mas sim de ajuda, apoio”, destacou Nadine.

O secretário de esportes do RS, João Derly, esteve presente no evento e elogiou o trabalho. “Sensacional. Acho importante estimular a prática esportiva para termos uma sociedade melhor”, afirmou o medalhista olímpico.

Fernando Tonelli, de Selbach, levou o filho pequeno Arthur, de apenas um ano e meio para participar da programação e considerou tudo muito maravilhoso. “Venho de uma cidade muito pequena, onde a gente encontra muita ajuda da polícia. E estas atividades são importantes para levar os jovens para o lado certo”, ressaltou. “Excelente a iniciativa”, completou Tonelli.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895