Rodoviários realizam concentração em frente à Câmara de Vereadores
capa

Rodoviários realizam concentração em frente à Câmara de Vereadores

Falta de tripulação afeta circulação de ônibus na cidade

Por
Correio do Povo

Rodoviários estão concentrados em frente à Câmara de Vereadores


publicidade

Após a chegada de trabalhadores que atuam na Nortran, os rodoviários realizam na manhã desta quinta-feira uma concentração em frente à Câmara de Vereadores, que deverá analisar e votar hoje o projeto de Lei da Prefeitura de Porto Alegre sugerindo a extinção gradativa da função de cobrador nos ônibus da cidade. Por conta da falta de tripulação, a circulação de coletivos na Capital está afetada. 

Em coro, a categoria gritou palavras de ordem. Uma das frases proferidas era "fora Marchezan", em referência ao prefeito de Porto Alegre. A análise e a votação só devem começar a partir das 14h15min. 

 

 

Mais cedo, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) liberou o trânsito dos lotações com passageiros em pé. O consórcio Viva Sul reforçou o atendimento nas linhas T11 e T12, coletivos da Carris que não estão circulando normalmente. As linhas metropolitanas da zona Norte, Soul, Transcal e Vicasa, estão autorizadas a pegar passageiros em Porto Alegre até a normalização do serviço.

Enquanto os rodoviários da Carris seguiram direto para a Câmara de Vereadores no começo da manhã, os trabalhadores da Nortran foram obrigados a negociar com a empresa e com a Brigada Militar o uso de coletivos para o deslocamento até a região central de Porto Alegre. Por fim, a companhia decidiu liberar dois ônibus para evitar um possível transtorno nos corredores, já que uma caminhada não estava descartada. 


Ontem, a votação do PL que versa sobre a extinção gradativa da função de cobrador não foi realizada por falta de quórum. Com apenas 18 dos 36 vereadores presentes, a Câmara de Vereadores de Porto Alegre não conseguiu analisar e votar o tema. Após a presidente da Casa, Mônica Leal (PP), encerrar a sessão, os rodoviários celebraram o fato do texto não ter sido objeto de discussão. A proposta, no entanto, deverá voltar a ser discutida nesta tarde. A sessão plenária tem abertura prevista para as 14h30.