Sobrinho de Spohr afirma que viu tio avisar pessoas para saírem da Kiss

Sobrinho de Spohr afirma que viu tio avisar pessoas para saírem da Kiss

Willian Renato Machado promovia festas na casa noturna em Santa Maria

Correio do Povo

publicidade

O sobrinho do réu Elissando Spohr, Willian Renato Machado, disse nesta segunda-feira que, logo após o incêndio começar, viu o tio avisar as pessoas de dentro da Kiss para deixarem o estabelecimento. "Logo que presenciei o fogo, já me direcionei à saída. Eu fui até uma parte da saída, não cheguei a sair totalmente. E já ouvi o Kiko (Elissandro) gritando: 'sai, sai, que é fogo'", afirmou. Machado trabalhava na Kiss na parte da tarde, fazendo a divulgação nas redes sociais dos eventos da noite. 

Machado disse, no entanto, não ter visto nenhum integrante da banda Gurizada Fandangueira avisar as pessoas para saírem da boate. O fogo, conforme relata, começou após a segunda música tocada pelo grupo musical. O depoente contou que saiu da casa antes das luzes terem apagado. Segundo William, logo após sair da boate após início dos fogos, ele localizou Natália, esposa de Elissandro, na rua, e em seguida, encontrou o tio.

Sobre a iniciativa de Elissandro em meio ao incêndio, William contou que o tio estava com ele o tempo inteiro. "A gente ajudou no salvamento. Presenciamos a chegada dos bombeiros. O Kiko (Elissadro) queria entrar na boate, pediu máscara para os bombeiros e o relato deles foi que 'isso é coisa de filme'", recordou. "Consegui entrar até a segunda porta e depois voltei. A gente participou durante um bom tempo", completou.

Após a tragédia, o sobrinho de Spohr relatou que ficado dois dias internado, mas que não teve sequelas posteriormente. Machado é o segundo a depor neste sexto dia de julgamento. O primeiro foi o empresário Stenio Rodrigues Fernandes.   


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895