Sociedade Riograndense de Infectologia aponta que isolamento tem evitado crise sanitária

Sociedade Riograndense de Infectologia aponta que isolamento tem evitado crise sanitária

A sobrecarga do sistema de saúde tem elevado as taxas de mortalidade da epidemia, aponta a SRGI

Rádio Guaíba

Desde a confirmação do primeiro caso da transmissão comunitária da doença no Estado, diversas medidas foram adotadas

publicidade

Para a Sociedade Riograndense de Infectologia (SRGI), o isolamento horizontal praticado até o momento no Estado, tem evitado uma crise sanitária de maiores proporções. Em comunicado, a entidade alerta que as perdas humanas são irrecuperáveis. Por isso, é preciso evitar qualquer morte ocasionada pelo colapso do sistema de saúde.

A SRGI destaca que o dano da disseminação do novo coronavírus em populações social e economicamente vulneráveis deve ter consequências ainda subestimadas. Assim, evitar que a epidemia atinja os grandes aglomerados urbanos das periferias, bem como populações que possuem dificuldades no acesso a serviços de saúde é um dos objetivos do do isolamento horizontal ou distanciamento social.

Desde a confirmação, há três semanas, do primeiro caso da transmissão comunitária da doença no Estado, diversas medidas foram adotadas. A SRGI considera as medidas fundamentais e destaca que a sobrecarga do sistema de saúde eleva as taxas de mortalidade da epidemia, como aconteceu na China, Itália, Espanha, Irã e Estados Unidos. Em comum, estes países se caracterizaram por respostas tardias à epidemia, o que acarretou, diariamente, em milhares de mortes.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895