Surto de Covid-19 na emergência pediátrica do Hospital Conceição afasta 13 médicos

Surto de Covid-19 na emergência pediátrica do Hospital Conceição afasta 13 médicos

Profissionais estão em isolamento e nenhum deles apresenta estado grave

publicidade

Treze dos 38 médicos que atuam na emergência pediátrica do Hospital Conceição contraíram Covid-19. Segundo a entidade, os profissionais não apresentam um quadro grave da doença, estão em isolamento e devem retomar às atividades após dez dias a contar do primeiro dia de sintomas, prazo que pode se estender se o profissional não estiver totalmente recuperado. 

O primeiro diagnóstico positivo foi no dia 16 de janeiro. O médico recorreu à central de triagem do hospital, relatou os sintomas e o teste confirmou positivo. Na sequência, aconteceu a mesma situação com mais  profissionais e todos testaram positivo. 

A pediatra e epidemiologista do Hospital Conceição , Ivana Santos Varella, explicou que a coordenação orientou todos os médicos que tiveram contato com os colegas  contaminados a  passarem pela triagem para fazer o rastreio de assintomáticos.  Os demais 25, como não tiveram contato direto com esse grupo, não precisam ser testados. “São sistemas de plantão intercalados e por isso não há uma convivência diária”, ressaltou. A situação foi levada à Vigilância Municipal de Porto Alegre.

Disseminação viral

A epidemiologista esclareceu que a origem do surto deve ser o meio externo, já que nos hospitais todos usam equipamentos de proteção que impedem a disseminação viral. “Se o profissional for uma fonte de infecção, o uniforme evita essa propagação”, comentou. Ela entende que as salas de convívio, momento em os médicos retiram parte do equipamento, são os locais que podem ser o foco de contágio. “Eles tomam café, conversam e, se um profissional estiver contaminado por ações da vida particular, pode trazer o vírus para esse espaço”, avaliou. 

Esses mesmos equipamentos  também garantem, segundo a especialista, que pacientes os quais estavam em atendimento pelos profissionais afastados, não tenham sido infectados. “Por essa razão, não há necessidade de testá-los”, destacou.

A pediatra explicou que as salas  de convívio são compartilhadas por categorias, o que permite perceber que somente médicos da emergência pediátrica, que não são os mesmo que trabalham na unidade de terapia intensiva (UTI)  e nem na internação pediátrica, estão com Covid-19. “ Isso vale para os demais grupos que atuam no setor, como  enfermeiros, técnicos de enfermagem, pessoal do administrativo e da higienização  que não estão com a doença”, detalhou.

No boletim emitido no dia 21 de janeiro pelo Hospital Conceição, na emergência pediátrica não tem nenhum paciente suspeito e nem confirmado, na internação pediátrica tem três suspeitos e um confirmado e na unidade de terapia intensiva (UTI) pediátrica tem um caso suspeito e nenhum confirmado. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895