Tendas de triagem de Covid-19 ainda registram procura da população em Porto Alegre

Tendas de triagem de Covid-19 ainda registram procura da população em Porto Alegre

Público tem comparecido para buscar informações sobre a pandemia do novo coronavírus

Cláudio Isaías

Tendas de triagem de Covid-19 ainda registram procura da população em Porto Alegre

publicidade

As tendas de triagem montadas em postos de saúde e hospitais de Porto Alegre seguem sendo procuradas pela população. Os funcionários das instituições de saúde perceberam que nos últimos dias o público está em busca de informações sobre a pandemia do coronavírus. Essa movimentação decorre do aumento dos casos de contaminação e mortes por conta da Covid-19.

Na manhã desta quarta-feira, a tenda de triagem do hospital Vila Nova, na zona Sul da Capital, tinha mais de 20 pessoas que aguardavam pelo atendimento. Todos que foram até o hospital estavam utilizando máscaras e costumam levar álcool em gel para a higienização das mãos. Funcionários da unidade informaram que o local tem recebido muita gente que faz questionamentos sobre sintomas e transmissão. Quem procura o serviço das tendas de triagem em Porto Alegre busca informações sobre os sintomas do coronavírus e como ocorre a transmissão. Tanto os enfermeiros quanto os técnicos de enfermagem dos hospitais e dos postos de saúde alertam sobre os sintomas mais comuns, que são tosse, febre, coriza, dor de garganta e dificuldade para respirar.

No Hospital da Restinga Extremo Sul, a movimentação de pessoas também tem sido intensa. Já foram realizados um total de 1.492 atendimentos. Dos dias 4 a 12 de janeiro, foram 342 atendimentos na instituição de saúde que funciona de segunda a sexta-feira das 8h às17, no pátio do hospital na avenida João Antônio da Silveira, 3.700, no bairro Restinga. A estimativa da administração do hospital é que 60 a 80 pessoas sejam atendidas por dia no local. A estrutura no bairro Restinga entrou em funcionamento no mês de março e havia sido fechada no dia 31 de outubro. Neste período, mais de cinco mil pessoas foram atendidas. A reabertura da tenda atendeu a um pedido da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em função do aumento dos casos de coronavírus na Capital.

Veja Também

Aumento no número de atendimentos 

Já n UPA Moacyr Scliar, que pertence ao Grupo Hospitalar Conceição (GHC), a gerente Jaqueline César Rocha informou que o Centro Atendimento Respiratório Covid-19 da UPA iniciou os atendimentos em 11 de maio. Neste período até o dia 31 de dezembro de 2020 foram realizados 19.907 atendimentos médicos, com 1.339 pacientes sendo encaminhados para observação/internação. Somente no mês de dezembro, foram 3.451 atendimentos. "Foi o mês com o maior número de atendimentos desde o início da pandemia no mês de março do ano passado", ressaltou. Em janeiro de 2021, a média no centro é de 90 a 100 atendimentos por dia. O movimento de pessoas em busca de informações sobre a Covid-19 tem sido intenso também nas estruturas localizadas no pronto atendimento da Bom Jesus, Cruzeiro do Sul e Lomba do Pinheiro.

O Grupo Hospitalar Conceição (GHC) informou que o atendimento na tenda de triagem do hospital não será retomado neste momento. A decisão pode ser reavaliada no futuro, conforme a demanda. A Central de Triagem Covid-19 do GHC funcionava no espaço da Escola GHC, na avenida Francisco Trein, bairro Cristo Redentor, próximo ao Hospital Conceição. O atendimento diário era feito das 8h às 22h e a unidade recebia pacientes suspeitos de coronavírus para avaliação de risco. A estrutura tinha quatro consultórios, uma sala de estabilização, uma sala de classificação de risco com dois classificadores e uma ambulância para transporte de paciente. A equipe era formada por três enfermeiros, quatro médicos, três técnicos de enfermagem e dois auxiliares administrativos.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895