TJRS concede liminar que impede corte de ponto de grevistas do Cpers
capa

TJRS concede liminar que impede corte de ponto de grevistas do Cpers

Decisão ocorreu na noite desse sábado

Por
Correio do Povo

TJRS concede liminar que impede corte de ponto de grevistas do Cpers

publicidade

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) concedeu a liminar, na noite desse sábado, que impede que o Governo do Estado corte o ponto dos servidores do Cpers/Sindicato. Segundo nota divulgada no site do Cpers, o sindicato protocolou na sexta o mandado através da própria assessoria jurídica no TJRS.

"O Comando de Greve do CPERS comunica que ganhamos o mandado de segurança contra o corte do ponto dos educadores protocolado ontem por nossa assessoria jurídica no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul", diz a nota. "Sartori não poderá cortar o ponto dos grevistas. Mais uma vitória da nossa Greve que continua forte em todo Estado. Seguimos fortes na luta pelos nossos direitos", complementa o texto.

O corte do ponto dos servidores ocorreu nessa sexta quando o Governo do Estado anunciou a decisão após a categoria afirmar que seguiria com a greve geral. Segundo nota divulgada, o Governo pedia que os professores mantivessem as aulas e pedia a colaboração dos pais e da comunidade escolar. "A responsabilidade pela preservação do ano letivo é compartilhada por toda a sociedade. O Governo do Estado segue aberto ao diálogo", diz o texto.

De acordo com Governo, 47% dos servidores da Educação receberam os salários integralmente nessa sexta e que até o dia 11 de outubro, todos estarão com os salários quitados, assim como ocorre com a maioria dos trabalhadores.

A greve geral completa 27 dias neste domingo. Após o protesto e assembleia realizados nessa sexta, a presidente do Cpers/Sindicato, Helenir Schürer, afirmou que a mobilização continua por tempo indeterminado. "A energia da nossa assembleia, com o acompanhamento de pais e alunos, demonstra que a greve tem muita força. Na próxima semana, vamos em caravana para o interior para ampliá-la”, disse.