Triagem de lixo é inaugurada na zona Norte de Porto Alegre

Triagem de lixo é inaugurada na zona Norte de Porto Alegre

Unidade integra processo de recuperação da região e de extinção dos carroceiros

Por
Mauren Xavier / Correio do Povo

UT começará a funcionar com 50 trabalhadores, mas a expectativa é de que o número chegue a 150


publicidade

Foi inaugurada, na manhã desta quarta-feira, a 18ª Unidade de Triagem de Porto Alegre (UT). Localizada na rua Frederico Mentz, no bairro Humaitá, a instalação integra o processo de recuperação da região e de extinção dos carroceiros. A ideia é de que a unidade absorva a mão de obra dos coletores de lixo da região que trabalham individualmente. A UT começará a funcionar com 50 trabalhadores, mas a expectativa é de que o número chegue até 150 nos próximos dois anos.

Na inauguração, o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, ressaltou a importância de se ampliar o serviço de reciclagem na cidade. “O destino correto do lixo é uma preocupação mundial. Todos os países sabem que se não houver uma atenção maior agora com os recursos naturais, os efeitos serão mais severos com as futuras gerações”, afirmou.

O espaço será administrado pela Associação dos Catadores Profetas da Ecologia. Segundo o presidente da entidade, Pedro Figueiredo, os trabalhadores serão dos bairros Humaitá e Navegantes, que ficam na região. Quando estiver com toda a capacidade em funcionamento, será a maior da Capital.

A construção do galpão de reciclagem, a compra do terreno e a reforma do prédio que abriga a administração, vestiários, sanitários, cozinha comunitária e refeitório tem o financiamento do Programa Integrado Entrada da Cidade (PIEC), a Fonplata e contrapartida da Prefeitura. Assim como as outras unidades, a UT receberá o lixo seco recolhido pelo Departamento Municipal de Lixo Urbano (DMLU), de acordo com a necessidade.

A coleta seletiva funciona em Porto Alegre há mais de 21 anos. Diariamente são recolhidas cerca de 100 toneladas de lixo reciclável. Segundo o prefeito, esse número poderia ser quatro vezes maior se houvesse conscientização da população. Atualmente, distribuídos pelas UTs existem mais de 750 trabalhadores, sendo que 70% são mulheres. A média de renda é de R$ 600 e está diretamente relacionada à produção de cada unidade.

Bookmark and Share