Tribunal de Justiça inicia julgamento para decidir se réus da Kiss vão a júri popular

Tribunal de Justiça inicia julgamento para decidir se réus da Kiss vão a júri popular

Quatro pessoas são acusadas pela morte de 242 mortes na boate em Santa Maria

Correio do Povo

Vários familiares e sobreviventes da tragédia vieram para Porto Alegre acompanhar sessão

publicidade

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul iniciou na tarde desta quarta-feira a sessão para decidir se os quatro reús do caso da boate Kiss vão a júri popular. Os sócios da casa, Elissandro Callegaro Spohr (Kiko) e Mauro Londero Hoffmann; o músico da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos, e produtor de palco, Luciano Bonilha Leão, são acusados pela morte de 242 pessoas na noite de 27 em janeiro de 2013. Apenas os integrantes do grupo musical compareceram no julgamento.

O responsável pela sessão desta quarta é o desembargador Sylvio Baptista Neto. Vários familiares e sobreviventes da tragédia vieram para Porto Alegre acompanhar a sessão no Tribunal. Em Santa Maria, o Juiz Ulysses Louzada decidiu pelo júri popular. Os advogados dos reús tentam reverter, mas caso decisão seja mantida, defesa ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).



publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895