Tribunal de Justiça inicia julgamento para decidir se réus da Kiss vão a júri popular
capa

Tribunal de Justiça inicia julgamento para decidir se réus da Kiss vão a júri popular

Quatro pessoas são acusadas pela morte de 242 mortes na boate em Santa Maria

Por
Correio do Povo

Vários familiares e sobreviventes da tragédia vieram para Porto Alegre acompanhar sessão

publicidade

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul iniciou na tarde desta quarta-feira a sessão para decidir se os quatro reús do caso da boate Kiss vão a júri popular. Os sócios da casa, Elissandro Callegaro Spohr (Kiko) e Mauro Londero Hoffmann; o músico da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos, e produtor de palco, Luciano Bonilha Leão, são acusados pela morte de 242 pessoas na noite de 27 em janeiro de 2013. Apenas os integrantes do grupo musical compareceram no julgamento.

O responsável pela sessão desta quarta é o desembargador Sylvio Baptista Neto. Vários familiares e sobreviventes da tragédia vieram para Porto Alegre acompanhar a sessão no Tribunal. Em Santa Maria, o Juiz Ulysses Louzada decidiu pelo júri popular. Os advogados dos reús tentam reverter, mas caso decisão seja mantida, defesa ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).