Turismo em 2021 requer compromisso do setor com protocolos sanitários

Turismo em 2021 requer compromisso do setor com protocolos sanitários

Evento, realizado pela secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, destacou a importâncias do cuidado sanitário para evitar segunda onda da pandemia no Estado

Gabriel Guedes

Evento, realizado pela secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, destacou a importâncias do cuidado sanitário para evitar segunda onda da pandemia no Estado

publicidade

A secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) realizou nesta quinta-feira a 3ª Jornada de Regionalização do Turismo – Projetos para a retomada do turismo. A coordenadora estadual de Turismo e Economia Criativa do Sebrae/RS, Amanda Paim, e a consultora em Turismo, palestrante e especialista em Planejamento Turístico e em Enoturismo, Ivane Fávero, trataram de revisar alguns dos aspectos que envolvem o planejamento para acompanhar as mudanças nas boas práticas do turismo em 2021.

O principal deles, é que o turista precisa se sentir seguro para poder voltar a viajar, bem como se faz necessário a aplicação real dos protocolos, sob pena do setor ter que interromper novamente as atividades. O secretário da pasta, Rodrigo Lorenzoni, que abriu o evento online, comemorou a realização da Festuris, em Gramado, entre os dias 5 e 8, com todos os protocolos. “Que possamos fazer um novo normal, um novo turismo em nosso estado”, destacou. O secretário aproveitou para adiantar que o setor turístico gaúcho estará presente no Festival das Cataratas, em Foz do Iguaçu, divulgando as regiões gaúchas.

Em relação às perspectivas para 2021, Amanda diz que não quer ver no RS o que está acontecendo com a Europa. “Precisamos ter segurança: não podemos esquecer de forma alguma que estamos numa pandemia. Estamos vendo o que está acontecendo na Europa. E isso interfere muito no nosso planejamento. É necessário compromisso com destinos seguros, com empresários comprometidos e adoção integral dos protocolos, com colaboradores qualificados e sem aglomeração”, recomendou a especialista.

Além disso, ela destaca que para o turista voltar a viajar, é necessário ter ausência de risco à saúde, a vacina contra a Covid-19, estabilidade financeira e o controle sanitário. Já Ivane destacou que o turismo precisa evoluir em 2021.  “Precisamos do turismo de experiência. Não é uma opção, é necessidade. Tem que se pensar na criação de novas experiências, principalmente ao ar livre, onde o risco de contágio é menor”, concluiu. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895