Vacina BioNTech/Pfizer poderá ser distribuída ainda este ano, diz presidente da BioNTech

Vacina BioNTech/Pfizer poderá ser distribuída ainda este ano, diz presidente da BioNTech

Pedido de autorização será apresentado na sexta-feira à US Food and Drug Administration (FDA)

AFP

Primeiras doses poderão ser distribuídas em 2020 nos EUA e na UE

publicidade

A vacina contra o coronavírus criada pelas farmacêuticas norte-americana Pfizer e alemã BioNTech poderá começar a ser distribuída ainda este ano nos Estados Unidos ou na União Europeia (UE), declarou nesta quinta-feira o fundador e presidente da BioNTech, Ugur Sahin.

"Existe a possibilidade de obtermos autorização este ano nos Estados Unidos ou na Europa, ou nas duas regiões", disse Sahin em entrevista à AFP. O pedido de autorização será apresentado na sexta-feira à US Food and Drug Administration (FDA).

Veja Também

A vacina desenvolvida pela aliança Pfizer/BioNTech tem uma eficácia de 95% na prevenção da Covid-19, de acordo com os resultados finais completos de seu teste clínico em larga escala. O anúncio foi feito pelas duas empresas em um comunicado conjunto divulgado nesta quarta-feira. A Pfizer assegura que a vacina não teve efeitos colaterais graves.

O dado divulgado nesta quarta-feira é melhor que os resultados parciais publicados na semana passada e que mostravam "mais de 90%" de efetividade da vacina. Isto significa que 162 membros do grupo placebo do teste contraíram Covid-19, contra apenas oito no grupo vacinado.

O resultado foi registrado dentro dos sete dias da segunda dose da vacina, que é tomada em duas doses com três semanas de intervalo. O protocolo do teste era avaliar a eficácia uma vez que alcançasse 170 casos nos dois grupos.

Mais de 43.000 pessoas se apresentaram como voluntárias para o teste, que começou no fim de julho e que deve prosseguir.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895