Vigilantes gaúchos aceitam proposta e nova greve é descartada
capa

Vigilantes gaúchos aceitam proposta e nova greve é descartada

Em assembleia, 149 trabalhadores aprovaram reajuste de 7,16%

Por
Correio do Povo

Vigilantes gaúchos aceitam proposta e nova greve é descartada

publicidade

Em assembleia realizada na noite dessa quarta-feira na igreja da Pompeia, na zona Norte de Porto Alegre, os vigilantes gaúchos aceitaram a proposta da classe patronal e descartaram uma nova greve. 

Segundo o Sindicato dos Vigilantes do Rio Grande do Sul (Sind Vigilantes), 149 trabalhadores aprovaram o piso salarial de R$ 1,2 mil - reajuste de 7,16% - e o vale-alimentação de R$ 15,70 contra 131, que rejeitaram a proposta. A votação foi por cédulas.  

Os vigilantes exigiam 12% de reajuste salarial sobre o atual piso de R$ 1.119,80 e vale-alimentação de R$ 18.. No dia 9 de março, os vigilantes iniciaram greve e promoveram bloqueios no acesso de pessoas aos bancos da área Central de Porto Alegre. A paralisação gerou tumultos e desentendimentos nas portas das agências.

Após reunião de mediação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT4), há uma semana, a categoria decidiu suspender a paralisação por cinco dias antes de realizara a assembleia que aprovou a proposta do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado do Rio Grande do Sul (Sindesp).