Argentina, Colômbia, Chile e Peru suspendem voos do Reino Unido por variante do coronavírus

Argentina, Colômbia, Chile e Peru suspendem voos do Reino Unido por variante do coronavírus

Estes são os primeiros da América a adotar medidas de contenção após anúncio de mutação com maior capacidade de transmissão

Correio do Povo

Nova variante foi anunciada no sábado

publicidade

Argentina, Colômbia, Chile e Peru tornaram-se s primeiros países da América a fechar suas fronteiras aéreas com o Reino Unido por conta da descoberta de uma nova variante do  SARS-CoV-2. No sábado, o conselheiro científico do governo britânico, Patrick Vallance, afirmou que essa mutação do coronavírus, além de se propagar rapidamente, está se transformando na forma "dominante". Após o anúncio, diversos países europeus barraram aviões vindos da ilha.

O governo argentino suspendeu os voos de e para a Grã-Bretanha a partir desta segunda. O último a chegar é o BA245, da British Airways, com previsão de chegada às 9 da manhã em Ezeiza. Os passageiros, juntamente com a tripulação, deverão cumprir uma quarentena de sete dias, uma vez que comprovarem os requisitos para entrar no país: um teste de PCR com resultado negativo e seguro-Covid-19. A partir daí, todas as outras viagens programadas serão suspensas.

“Estamos pensando em medidas como voos desde o Reino Unido”, avançou o ministro da Saúde, Ginés González García, em declarações à A24. Sobre esta nova mutação, o responsável explicou que existem 29 alterações genéticas do vírus originário de Wuhan: “Implica um aumento da capacidade de transmissão em 70%, ou seja, é muito mais contagiosa. Felizmente, não é mais grave nem aumenta a mortalidade".

O governo do Chile, por meio das redes sociais, anunciou a proibição de entrada no país de estrangeiros que estiveram no Reino Unido nos últimos 14 dias. Desta forma, foram suspensos todos os voos diretos e proibída a entrada "a todos os estrangeiros não residentes em regime regular" que tenham estado no Reino Unido nos últimos 14 dias; Por fim, a obrigação a todos os chilenos e estrangeiros residentes regulares que entrem no país e que tenham estado no Reino Unido nos últimos 14 dias, de realizar uma quarentena obrigatória de 14 dias no país.

As medidas entrarão em vigor à meia-noite do dia 22 de dezembro e durarão pelo menos duas semanas, após as quais serão reavaliadas. “No caso de estrangeiros não residentes em regime de regularidade, continuarão em vigor as exceções previstas no artigo 2º do Decreto Supremo 102 do Ministério do Interior e da Segurança Pública”, diz a nota.

Colômbia tem restrições detalhadas

O governo colombiano anunciou a suspensão dos voos do Reino Unido ao mesmo tempo em que esclarecia o real impacto que uma nova variante teria. Quem já iniciou a viagem à Colômbia terá que cumprir uma quarentena obrigatória. “Embora seja natural que, à medida que o vírus SARS-CoV-2 se replica ao redor do mundo, ocorram mutações, a ponto de hoje milhares de mutações terem surgido, é provável que apenas uma pequena minoria seja importante e mude vírus apreciavelmente ”, explicou o Ministério da Saúde por meio de nota.

De acordo com a resolução emitida pelo governo, os estrangeiros inadmissíveis devem retornar ao país de origem imediatamente após a chegada e a companhia aérea deve fazer o que for necessário para devolvê-los no próximo vôo. Os custos de retorno de passageiros inaceitáveis ​​serão suportados pela companhia aérea. Por enquanto, somente colombianos e estrangeiros com residência permanente na Colômbia (portadores de visto de imigrante, visto de residência ou visto de cortesia e seus beneficiários no país) poderão entrar no país.

Mas o Ministério da Saúde alertou que esses passageiros terão que cumprir medidas de biossegurança sanitária, como a quarentena de 14 dias. Também poderão ingressar pessoas pertencentes a órgãos diplomáticos devidamente credenciados no país, bem como estrangeiros que iniciem seu voo para o país antes da data de entrada em vigor da resolução. O mesmo se aplica à tripulação desses voos. No caso de passageiros que cheguem ao país em conexão internacional, deverão seguir seu rumo e, durante o tempo de conexão, permanecer em área de espera designada para o efeito.

O governo ordenou que as pessoas do Reino Unido que ingressaram nos últimos 8 dias passem por uma quarentena que será realizada no local de residência escolhido pela pessoa se for colombiana ou residente permanente, ou em alojamento remunerado Com recursos próprios, se você for estrangeiro não residente na Colômbia. O local escolhido para a quarentena não pode ser alterado durante os 14 dias. Esta quarentena deve ser verificada pelos secretários de saúde dos respectivos destinos. Todos serão monitorados rigorosamente pelas secretarias de saúde dos respectivos destinos ou por meio da estratégia PRASS.

“No caso de pacientes sintomáticos, ou contatos de caso suspeito, será acionado o PRASS como para qualquer caso suspeito, com o respectivo isolamento, e o mapa de contato”, informou o governo. No caso de viajantes procedentes do Reino Unido (diretamente ou por conexão) que entraram no país nos 9 a 14 dias anteriores à decisão, também deverá ser realizado monitoramento epidemiológico.

Peru

Já o Ministério dos Transportes e Comunicações (MTC) do Peru informou na noite de domingo que nenhum voo direto ou escala será autorizado no Reino Unido até novo aviso. Nos últimos dias, o país europeu apertou suas restrições por temer uma nova cepa do coronavírus.  “No dia 15 de dezembro reabrimos voos diretos para a Europa, no entanto, até agora nenhum voo chegou de Londres e Reino Unido. Como medida preventiva, não autorizaremos voos diretos ou voos com escala no Reino Unido até novo aviso ”, disse o ministério em sua conta no Twitter.

“Junto com o Ministério da Saúde, fazemos um monitoramento permanente da evolução da pandemia no mundo para tomar as medidas mais eficazes que protegem a saúde dos peruanos. Nessa linha estamos avaliando os voos reiniciados da e para a Europa”, acrescentou. Por sua vez, a Primeira-Ministra Violeta Bermúdez garantiu que amanhã serão avaliadas medidas complementares nesta matéria, em sessão do Conselho de Ministros.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895