Avião russo foi derrubado em "circunstâncias acidentais trágicas", diz Putin

Avião russo foi derrubado em "circunstâncias acidentais trágicas", diz Putin

Rússia culpou ofensiva de Israel na Síria pelo incidente

AFP

Putin comentou queda de avião russo em entrevista coletiva

publicidade

O presidente russo, Vladimir Putin, explicou, nesta terça-, que a queda do avião militar russo na costa síria resultou do "encadeamento de circunstâncias acidentais trágicas". "Parece o encadeamento de circunstâncias acidentais trágicas", declarou Putin em entrevista coletiva, recusando-se a comparar o incidente com a queda de um caça russo por parte do Exército turco, em novembro de 2015, e que provocou uma grave crise diplomática.

Segundo o exército russo, a aeronave de reconhecimento que desapareceu dos radares sobre o Mediterrâneo foi derrubada pela defesa antiaérea síria. O exército russo acusou Israel de bombardeios "hostis" contra a Síria e ameaçou com represálias. "O Il-20 foi abatido por um sistema de mísseis S-200 do exército sírio na segunda-feira, o que provocou a morte dos 15 membros da tripulação", anunciou o ministério russo da Defesa.

O porta-voz do exército russo, Igor Konashenkov, acusou Israel de ser responsável pelo incidente, ao executar uma operação armada contra Latakia, reduto na Síria do presidente Bashar al-Assad, sem ter alertado Moscou. "Consideramos hostis estas provocações da parte de Israel e nos reservamos o direito de responder de maneira adequada", advertiu.

Konashenkov afirmou que o comando militar israelense "não informou" que executaria a operação e a anunciou Moscou menos de um minuto antes do ataque, o que "não permitiu levar o avião Il-20 para uma zona segura". Também acusou os pilotos dos F-16 israelenses de deliberadamente colocar o avião russo em perigo, ao camuflar-se em seu sinal de radar, colocando assim o Il-20 "sob o fogo da defesa antiaérea síria".

"Os aviões israelenses criaram deliberadamente uma situação perigosa para os barcos e os aviões que estavam na região. O bombardeio aconteceu perto do local em que estava a fragata francesa Auvergne e muito perto do Il-20", prossegui. O avião Ilushin-20 desapareceu dos radares na segunda-feira à noite a 35 km da costa síria, durante um ataque aéreo de quatro F-16 israelenses contra infraestruturas da província síria de Latakia.

Israel nega ofensiva na Síria

Israel negou nesta terça-feira que sua Força Aérea tenha lançado um ataque contra a Síria, aproveitando como distração o voo de um avião russo que acabou sendo abatido pela defesa antiaérea de Damasco. "O avião russo que foi abatido não estava na área de operações (...) quando os militares sírios lançaram os mísseis que atingiram a aeronave russa, os combatentes (israelenses) já estavam no espaço aéreo de Israel", afirma um comunicado. I

srael também lamentou a morte dos quinze tripulantes do avião militar russo derrubado por engano e culpou o regime de Damasco e do Irã. "Israel expressa sua tristeza pela morte da tripulação do avião russo que foi abatido ontem à noite pela defesa antiaérea síria", informou a Força Aérea de Israel também em um comunicado.

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895