Banco Central Europeu anuncia programa de compra emergencial por pandemia
capa

Banco Central Europeu anuncia programa de compra emergencial por pandemia

Instituição afirma que explorará todas as opções e todas as contingências para apoiar a economia durante a pandemia de Covid-19

Por
Correio do Povo e AFP

Anúncio ocorre apenas seis dias após o mesmo BCE lançar um pacote de estímulo a bancos que não conseguiu acalmar os mercados financeiros


publicidade

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou na quarta-feira à noite o lançamento de um mecanismo de 750 bilhões de euros para a compra de títulos das dívidas pública e privada, para tratar de reduzir os efeitos da pandemia do coronavírus. O Programa de Compras de Emergência por Pandemias terá vigência até o final de 2020 e incluirá todas as categorias de ativos elegíveis no programa de compra de ativos (APP) existente. "O Conselho do BCE fará todo o necessário dentro de seu mandato. O Conselho está totalmente preparado para aumentar o tamanho de seus programas de compra de ativos e ajustar sua composição, tanto quanto necessário e pelo tempo necessário. Explorará todas as opções e todas as contingências para apoiar a economia através deste choque", destaca um comunicado da instituição.

"Na medida em que alguns limites auto-impostos possam dificultar as ações que o BCE deve tomar para cumprir seu mandato, o Conselho do BCE considerará revisá-los na medida necessária para tornar sua ação proporcional aos riscos que enfrentamos. O BCE não tolerará riscos à transmissão suave da sua política monetária em todas as jurisdições da área do euro", lê-se no texto.

Logo em seguida, o presidente francês, Emmanuel Macron, declarou seu "apoio total às medidas excepcionais" adotadas pelo BCE, e avaliou que os países do bloco devem apoiar a economia "com intervenções orçamentárias e maior solidariedade financeira na zona do euro". "Nossos povos e nossas economias precisam disso".

O anúncio ocorre apenas seis dias após o mesmo BCE lançar um pacote de estímulo a bancos que não conseguiu acalmar os mercados financeiros. Este novo pacote para a compra de bônus da dívida foi anunciado após os 25 integrantes do Conselho do BCE realizarem uma teleconferência. Em sua nota, o BCE afirma que está "comprometido em desempenhar seu papel de apoiar os cidadãos da zona do euro neste momento extremamente desafiador". O Conselho do BCE também assinalou que está pronto para relaxar algumas restrições sobre a compra de bônus para ajudar potencialmente países como a Itália.

Os 19 Estados da área do euro estão ligados por um Mecanismo Europeu de Estabilidade estabelecido em resposta à crise da dívida pública do início de 2010. Este fundo capta seus recursos no mercado de dívida pública e empresta, sob certas condições, aos países membros que enfrentam dificuldades econômicas e orçamentárias. Os presidentes do Conselho Europeu, Charles Michel, e da Eurocâmara, David Sassoli, celebraram nesta quinta-feira o plano do BCE para proteger a economia do bloco.


"Aplaudo o programa de compra de emergência do BCE", tuitou Michel, reiterando o mantra europeu das últimas semanas de que "nenhum esforço será poupado para conter o COVID-19 e proteger as economias de mais danos". O presidente da Eurocâmara celebrou que a instituição monetária com sede em Frankfurt (Alemanha) "assegure a economia europeia, protegendo as famílias, os trabalhadores e as empresas". O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, e o ministro da Economia da França, Bruno Le Maire, também elogiaram o plano anunciado pelo BCE. mfp/rma/lr/fp