Blinken afirma que EUA e China querem "estabilizar" suas relações

Blinken afirma que EUA e China querem "estabilizar" suas relações

Secretário de Estado americano admitiu divergências bilaterais entre os dois países

AFP

publicidade

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, disse nesta segunda-feira (19) em Pequim que China e Estados Unidos estão de acordo em "estabilizar" suas relações, mas permanece "lúcido" sobre as profundas divergências bilaterais.

"Em todas as reuniões, enfatizei que o compromisso direto e a comunicação sustentada em níveis superiores são a melhor maneira de administrar as diferenças de forma responsável e garantir que a concorrência não se transforme em conflito", disse Blinken à imprensa após dois dias de discussões na capital chinesa. "Ouvi o mesmo dos representantes chineses. Estamos de acordo com a necessidade de estabilizar nossas relações", acrescentou.

Ao mesmo tempo, Blinken afirmou que os Estados Unidos estão "lúcidos sobre os desafios" representados pela China, depois que a crescente rivalidade foi identificada pelo governo do presidente Joe Biden como uma ameaça potencial. "Não temos ilusões sobre os desafios de administrar essa relação. Há muitas questões sobre as quais discordamos profundamente, inclusive de forma enérgica", disse Blinken.

A China aponta Taiwan como um dos principais pontos de divergência, já que considera a ilha - que compra armas de Washington - parte de seu território e não descarta o uso da força para recuperá-la. Durante a visita, Blinken repetiu que os Estados Unidos não apoiam a independência de Taiwan e manteve sua postura de manter o "status quo", embora tenha dito ter "profundas preocupações com algumas das ações provocativas que a China tomou nos últimos anos, desde 2016".


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895