capa

Chefe do Pentágono orienta funcionários e militares a serem "politicamente neutros"

Patrick Shanahan admitiu que navio USS John McCain foi "escondido" de Trump durante visita do presidente

Por
AFP

Memorando cita campanha eleitoral para que oficiais evitem manifestações

publicidade

O chefe interino do Pentágono, Patrick Shanahan, enviou nesta terça-feira um memorando a todos os funcionários do Departamento de Defesa solicitando que permaneçam "politicamente neutros", após uma controvérsia sobre um navio de guerra batizado com o nome do falecido senador John McCain. "Nossa missão de proteger e defender a nação é apolítica", enfatizou em nota enviada a todos os funcionários e oficiais militares no exterior.

Shanahan confirmou no domingo que a Casa Branca tentou esconder o USS John S. McCain durante uma visita ao Japão do presidente Donald Trump, um adversário político do senador. O gabinete do presidente havia contactado a 7ª Frota americana para transmitir a "ordem para que o 'USS John S. McCain' ficasse fora de vista". Quando perguntado sobre o memorando, Shanahan disse aos jornalistas: "Depois da situação de McCain, quero lembrar a todos que não vamos a politizar o Exército".

"Pensem em todas as viagens que se aproximam. Pensem na temporada em que estamos entrando", declarou, ao se referir à campanha presidencial para 2020. Trump teve uma relação política combativa com McCain, um prisioneiro de guerra que foi torturado durante a guerra do Vietnã. O senador faleceu em agosto devido a um câncer no cérebro.