Chile recebe as primeiras vacinas contra o coronavírus

Chile recebe as primeiras vacinas contra o coronavírus

Vacinação deve começar ainda nesta quinta para os profissionais da saúde de quatro regiões do país

AFP

As primeiras doses serão aplicadas em 100% dos profissionais da saúde

publicidade

As primeiras 10.000 doses da vacina contra o coronavírus dos laboratórios Pfizer/BioNTech chegaram nesta quinta-feira ao Chile, segundo país da América Latina a receber o fármaco depois do México, informou a presidência. Em meio a uma grande expectativa, as vacinas chegaram ao aeroporto de Santiago em um voo comercial da companhia LATAM que partiu da Bélgica, onde a vacina foi produzida, e depois de uma escala técnica em Miami.

A vacinação no Chile deve começar ainda nesta quinta-feira para os profissionais da saúde de quatro regiões do país.

As primeiras doses serão aplicadas em 100% dos profissionais que trabalham em Unidades de Tratamento Intensivo com pacientes em condições críticas nas regiões de La Araucanía, Biobío e Magallanes, sul do Chile, e um terço dos profissionais que trabalham no mesmo setor na Região Metropolitana, onde vive quase metade da população do país, de 18 milhões de habitantes.

Em uma segunda etapa serão vacinados os demais profissionais da saúde, os idosos e pessoas com doenças crônicas. Depois outras pessoas de grupos de risco e, no final, a campanha será ampliada para a população geral do Chile, um dos países mais afetados pela pandemia na América Latina, com quase 600.000 contágios e mais de 16.000 mortes confirmadas, número que supera 21.000 com os casos suspeitos.

O presidente Sebastián Piñera anunciou que o Chile conseguiu assegurar o fornecimento de 30 milhões de doses da vacina, o que permitiria inocular 15 dos 18 milhões de habitantes do país durante o primeiro semestre de 2021.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895