Dados disponíveis não indicam maior letalidade da variante do Reino Unido, diz OMS

Dados disponíveis não indicam maior letalidade da variante do Reino Unido, diz OMS

Declaração da entidade contraria o que disse nesta sexta o premiê britânico, Boris Johnson

AE

Afirmação foi feita em coletiva nesta sexta-feira

publicidade

A epidemiologista responsável pela resposta da Organização Mundial da Saúde (OMS) à pandemia de Covid-19, Maria Van Kerkhove, afirmou em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, que a variante do Reino Unido do novo coronavírus não mostrou sinais de que é mais mortal do que a primeira cepa do vírus, segundo estudos de laboratórios acompanhados pela entidade. A declaração da especialista contraria o que disse nesta sexta o premiê britânico, Boris Johnson.

O diretor-executivo da OMS, Michael Ryan, explicou que, apesar de ter ocorrido mais mortes por Covid-19 no Reino Unido desde o surgimento da variante, isso não necessariamente está ligado à letalidade do vírus.

"Letalidade e mortalidade são duas coisas diferentes. O que observamos com certeza no Reino Unido foi um aumento do número de novos óbitos acompanhando o crescimento dos casos", afirmou Ryan, reiterando que os dados que a OMS possui até agora não indicam maior letalidade da cepa britânica do sars-cov-2.

Segundo a diretora de vacinas da OMS, Katherine O'Brien, não há informações suficientes para saber se os imunizantes que estão sendo usados para a Covid-19 são mais ou menos eficazes contra as novas variantes já identificadas.

O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom, alertou ainda que o uso das vacinas não exclui a necessidade das medidas de segurança continuarem em vigor.

Veja Também


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895