França fecha mais de 80 escolas em 15 dias por casos de Covid-19

França fecha mais de 80 escolas em 15 dias por casos de Covid-19

País registrou um salto no número de internações por conta da doença

AFP

França fecha mais de 80 escolas em 15 dias por casos de Covid-19

publicidade

A França fechou mais de 80 escolas desde que o ano letivo foi retomado há 15 dias, devido à detecção de novos casos de coronavírus - disse o ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, nesta quarta-feira (16), insistindo em que esses são números "baixos". "Temos cerca de 1.200 novos casos de Covid-19 entre os alunos em comparação com a semana passada", disse Blanquer em entrevista à rede de LCI.

O ministro destacou que o fechamento dessas unidades representa apenas uma pequena fração das 60 mil escolas em toda França e disse que o início do ano letivo "é o melhor possível" dada a atual crise de saúde.

Aulas presenciais também foram suspensas em algumas universidades nos últimos dias, devido à detecção de alguns casos de contágio. No Sudeste, a Universidade de Montpellier anunciou a suspensão das aulas na Faculdade de Medicina depois que cerca de 60 alunos testaram positivo para o novo coronavírus após uma festa.

A Universidade de Rennes, no Oeste da França, também suspendeu as aulas para estudantes de medicina do segundo e terceiro ano esta semana, após 83 testes positivos.

A agência nacional de saúde pública relatou quase 8 mil novos casos nas últimas 24 horas, um pequeno declínio em relação aos mais de 10 mil casos registrados no sábado e um recorde desde o início da triagem em massa.

Salto no número de internações 

O ministro também notou um salto no número de internações na semana passada, para 2.713 casos, dos quais 479 precisaram ir para a UTI.

Embora o número esteja bem abaixo das 7 mil pessoas em tratamento intensivo no auge da pandemia, a França se prepara para uma segunda onda de casos que pode chegar neste outono (primavera no Brasil).

O governo colocou 82 dos 101 departamentos do país em alerta vermelho, e cidades como Bordeaux (sudoeste) e Marselha (sudeste) aumentaram as restrições esta semana, especialmente em termos de reuniões públicas e visitas a asilos. Cerca de 31 mil pessoas morreram de Covid-19 na França.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895