Furacão Isaías ganha força no Caribe rumo à Flórida, epicentro da pandemia
capa

Furacão Isaías ganha força no Caribe rumo à Flórida, epicentro da pandemia

Centros de testagem para Covid-19 na Flórida estão fechados desde quinta-feira, até que seja seguro reabri-los

Por
AFP

O estado da Flórida, nos EUA, já devastado pela pandemia, e com os hospitais sobrecarregados, se prepara para o golpe do furacão Isaías


publicidade

O enorme furacão Isaías sopra, nesta sexta-feira (31), sobre as Bahamas, e segue em direção à Flórida, ameaçando se fortalecer para a categoria 2, em um momento em que esse estado do sudeste dos Estados Unidos lida com o avanço implacável da pandemia de coronavírus.

Isaías ganhou intensidade na noite de quinta-feira depois de passar pela República Dominicana. Atualmente, encontra-se soprando com ventos máximos sustentados a 130 Km/h perto das ilhas Bahamas, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês).

Agora, o fenômeno é uma grande tempestade de categoria 1 com ventos que se estendem até 335 km de seu centro. Está se deslocando para o noroeste a cerca de 28 km/h. "É possível um fortalecimento hoje (sexta-feira), e se espera que Isaías se mantenha com força de furacão nos próximos dias", escreveu o NHC, com sede em Miami.

Ele passará perto das Bahamas na noite desta sexta e estará sobre ou perto do leste da península da Flórida no sábado, ou no domingo. O arquipélago das Bahamas está sob aviso de furacão, e a costa sudeste da Flórida, sob alerta de tempestade tropical.

O primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, anunciou na noite de ontem um relaxamento das medidas estritas de confinamento pela pandemia para permitir que os moradores se preparem para o furacão. Este é o primeiro furacão que passa pelas Bahamas desde que Dorian, com categoria 5, destruiu duas de suas ilhas no ano passado.

Um furacão em meio à pandemia

Na quinta-feira, Isaías deixou inundações severas e deslizamentos de terra ao passar por Porto Rico, além de árvores e postes caídos, casas alagadas e milhares de pessoas sem eletricidade. Enquanto isso, o estado da Flórida nos EUA, já devastado pela pandemia e com os hospitais sobrecarregados, prepara-se para o golpe do furacão Isaías provavelmente como categoria 2, ou seja, com ventos de mais de 154 km/h.

O governador Ron DeSantis pediu aos moradores para garantirem que "tenham um plano, comida, água e remédios para sete dias". Já o prefeito de Miami-Dade, Carlos Giménez, disse que o condado possui 20 abrigos que ainda não foram ativados, devido às incertezas que persistem sobre a trajetória da tempestade.


Os centros de testagem para Covid-19 na Flórida estão fechados desde quinta-feira até que seja seguro reabri-los. São registrados há semanas cerca de 10.000 novos casos de coronavírus por dia e, ontem, foram contabilizados 253 mortos, um recorde no estado pelo terceiro dia consecutivo.