Furacão Laura avança implacável pelos estados de Louisiana e Texas

Furacão Laura avança implacável pelos estados de Louisiana e Texas

Fenômeno provocou ventos de 195 km/h

AFP

Governo do Texas advertiu que Laura tem um potencial ''sem precedentes''

publicidade

O furacão Laura afetava a costa da Louisiana nesta quinta-feira, onde tocou o solo na madrugada como um fenômeno de categoria 4, provocando a fuga de centenas de pessoas deste estado do sul dos Estados Unidos e do vizinho Texas diante da perspectiva de enchentes "catastróficas".

O Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês) informou no boletim da 9h GMT (6h em Brasília) que Laura avançava na Louisiana a 24 km/h como furacão de categoria 3, com ventos de 195 km/h e rajadas ainda mais fortes. O fenômeno tocou o solo em Cameron, Louisiana, como categoria 4, com ventos de até 240 km/h.

"PROTEJA-SE AGORA! Considere os ventos extremos iminentes como se fosse a aproximação de um tornado e siga imediatamente para um local seguro em seu refúgio", advertiu o NHC no Twitter. "Proteja sua vida", insistiu a mensagem. "Tempestade catastrófica, ventos extremos e inundações repentinas estão acontecendo em partes da Louisiana", alertou o NHC.

Além da maré alta, as ondas - que devem invadir 65 quilômetros terra adentro - podem provocar uma cheia das águas de entre 4,5 e 6 metros acima do nível normal. As fortes chuvas podem alcançar, de acordo com as previsões, 130 e 250 milímetros, com alguns picos de quase 400 mm no Oeste da Louisiana e Leste do Texas.

Os dois estados abrigam grandes centros de refino de petróleo. Mais de 100 plataformas petrolíferas no Golfo do México foram evacuadas como medida de precaução.

Fugir da rota do furacão

O governador do Texas, Greg Abbott, advertiu que Laura tem um potencial "sem precedentes" e fez um apelo para que os moradores "saiam do caminho do furacão". Durante a terceira noite da Convenção Nacional Republicana, o vice-presidente Mike Pence pediu às pessoas que "prestem atenção nas autoridades estaduais e locais".

A Guarda Nacional anunciou o envio de mais de 1 mil agentes ao Texas para ajudar na resposta ao furacão, além de 20 aviões e equipamentos para refúgios.

Entre as cidades potencialmente no caminho de Laura e sob ordens de evacuação obrigatória estão Beaumont e Port Arthur, no Texas, que sofreram graves danos na passagem do furacão Harvey há três anos, com um balanço de 68 mortos.

Evitar contágios

Angela Jouett, que lidera a operação de evacuação em Lake Charles, informou que novos protocolos foram implementados, devido à pandemia do coronavírus. "As pessoas que entram (nos centros de proteção) usam desinfetante nas mãos, passam por controles de temperatura e mantêm uma distância física de dois metros", relatou.

Na localidade texana de La Porte, perto de Houston, onde a saída era voluntária, os moradores procuraram artigos de primeira necessidade.

O governador da Louisiana, John Bel Edwards, anunciou no Twitter o fechamento de trechos da rodovia interestadual (I-10), que liga todo sul do Estados Unidos, e recomendou aos moradores que sigam para o norte "para desviar dos fechamentos e evitar condições impossíveis para dirigir".

Em Nova Orleans, devastada em 2005 pelo furacão Katrina, de categoria 5, o histórico Bairro Francês estava sem turistas, e sacos de areia foram empilhados diante de portas e janelas. Os edifícios de arquitetura colonial foram protegidos com chapas de madeira.

Laura passou na segunda-feira como tempestade tropical por Cuba, onde causou fortes chuvas e alguns danos. No fim de semana, a tempestade provocou 25 mortes no Haiti e República Dominicana. A temporada de tempestades no Atlântico, que vai até novembro, deve ser uma das mais severas. O NHC prevê até 25 fenômenos, e Laura é o 12º até o momento.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895