Hamas diz que está atrasando entrega de reféns até que Israel respeite o acordo

Hamas diz que está atrasando entrega de reféns até que Israel respeite o acordo

Grupo pede que país atenda a "critérios de seleção" ajuda humanitária

AFP

publicidade

O braço armado do movimento islamista palestino Hamas indicou neste sábado (25) que está atrasando a libertação do segundo grupo de reféns até que Israel "respeite o acordo", que entrou em vigor no dia anterior. 

As brigadas Ezzedine al Qassam pedem especialmente "a entrada de caminhões de ajuda humanitária no norte da Faixa de Gaza" e o respeito aos "critérios de seleção" para a libertação dos presos palestinos, indicaram em um comunicado. Autoridades israelenses confirmaram à AFP que os reféns ainda não haviam sido entregues ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV). 

A trégua de quatro dias, obtida na quarta-feira pelo Catar com o apoio dos Estados Unidos e do Egito, prevê a libertação de 50 reféns israelenses mantidos em cativeiro em Gaza e de 150 palestinos presos em Israel.

Na sexta-feira, membros armados e uniformizados do Hamas entregaram um total de 24 reféns (13 israelenses, dez tailandeses e um filipino) ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) para serem levados para Israel através do Egito.

Em 7 de outubro, milicianos do movimento palestino Hamas mataram 1.200 pessoas e sequestraram cerca de 240, no pior ataque em solo israelense na história do país. A trégua representa um primeiro momento de respiro para os habitantes de Gaza, que também estão sujeitos a um cerco total por parte de Israel, quase sem acesso a água, alimentos, eletricidade ou medicamentos.

Aproveitando a calmaria dos combates, milhares de pessoas que fugiram para o sul da Faixa de Gaza começaram a voltar para suas casas no devastado norte do território.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895