Igreja Católica italiana se recusa a pagar imposto sobre propriedade

Igreja Católica italiana se recusa a pagar imposto sobre propriedade

Decisão judicial põe fim a um privilégio que data da Idade Média", comemorou líder na câmara do partido de esquerda radical ecologista

AFP

publicidade

A Igreja Católica italiana levantou-se contra uma decisão judicial que a obriga a pagar um imposto sobre a propriedade, do qual esteve dispensada até hoje. A cidade de Livorno (oeste) obteve que o Tribunal de Cassação obrigasse as escolas católicas privadas, essencialmente católicas, a pagar esse imposto, por causa das atividades lucrativas dos centros.

"É uma decisão ideológica, perigosa e inconsistente", disse o secretário-geral da Conferência Episcopal Italiana, Dom Nunzio Galantino, citado domingo pela imprensa italiana. "É como se você colocasse no mesmo patamar uma instituição de caridade e um restaurante elegante", acrescentou.

O imposto poderia levar "ao fechamento das escolas provadas", que permitem uma economia de "6,5 bilhões de euros aos cofres públicos", continuou Galantino. As 13,6 mil escolas privadas concertadas na Itália, das quais 8,7 mil são católicas, recebem 1,3 milhões de estudantes.

A decisão judicial "põe fim a um privilégio que data da Idade Média", comemorou Arturo Scotto, líder na câmara do partido Sel, a esquerda radical ecologista. O governo poderia tornar a decisão sem efeito, adotando um decreto mediante pressão da maioria, onde há muitos católicos, avaliou neste domingo a imprensa italiana.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895