Incêndio em fábrica provoca fechamento de escolas e gera alerta sobre contaminação de rio na França
capa

Incêndio em fábrica provoca fechamento de escolas e gera alerta sobre contaminação de rio na França

Fogo em depósito de lubrificantes não deixou vítimas, mas criou uma nuvem de fumaça de 22 km sobre a cidade de Rouen

Por
Correio do Povo e AFP

publicidade

Após mais de oito horas, o Corpo de Bombeiros do departamento do Sena Marítimo apagou um grande incêndio em um depósito de produtos químicos do tipo aditivo lubrificante da empresa Lubrizol – uma fabricante de industriais e aditivos de combustível que pertence ao bilionário americano Warren Buffett –, norte da França. O fogo, que provocou o fechamento de escolas e um alerta sobre a possível contaminação do rio Sena, não deixou vítimas, mas criou uma nuvem de fumaça de 22 km sobre a cidade de Rouen, de quase 500 mil habitantes, de acordo com o governo da Normandia. O chamado mobilizou 240 bombeiros, ajudados por 50 veículos.

O prefeito disse que a fuligem continha "componentes relacionados principalmente à queima de produtos acabados com óleo, aditivos químicos para óleos e hidrocarbonetos daí a fuligem negra e oleosa que vemos", mas rejeitou repetidamente qualquer risco de "toxicidade aguda" no ar. Os limites legais são estabelecidos pelas autoridades ministeriais para cada composto químico. Criado em 1954, o local de 14 hectares localizado às margens do Sena emprega atualmente 400 pessoas, segundo a prefeitura.

Mais de 200 pessoas foram mobilizadas | Foto: Yacine Moufaddal / SDIS / AFP

A fábrica está registrada como 'Seveso', nome de uma diretriz europeia que impõe aos países membros identificar os centros industriais que representam alto risco em caso de acidente. A planta fabrica e comercializa aditivos para enriquecer óleos, combustíveis e tintas industriais. Até 2009, foi classificado como "baixo limiar", até análises ecotoxicológicas levarem os serviços estaduais a reclassificá-lo no "alto limiar". Em 2013, uma vazamento de mercaptano , um gás tóxico venenoso, da fábrica havia sido sentida a centenas de quilômetros de distância, em Paris e até mesmo Inglaterra.

Observou-se precipitação de hidrocarbonetos em Rouen e arredores, em jardins, propriedades agrícolas ou até vegetais. Segundo a Câmara de Agricultura do Sena Marítimo , vários agricultores e laticínios já deram o alarme. Como medida de precaução, o prefeito de Seine-Maritime fez recomendações específicas: os agricultores que possuem animais ao ar livre devem "ir e garantir a rega e alimentação, colocando-os sob a proteção" . É proibido alimentar os animais com "alimentos estragados" e "ruminantes pastando em pastagens saudáveis". Além disso, não devem colher nada "na expectativa de mais esclarecimentos" e não tentar limpar as áreas afetadas.