Incêndios "sem precedentes" devastam costa oeste dos Estados Unidos

Incêndios "sem precedentes" devastam costa oeste dos Estados Unidos

Mais de vinte focos devastaram a Califórnia e quase mil bombeiros combatem o incêndio

AFP

Neste ano, os incêndios já devastaram 8.000 km² na Califórnia

publicidade

Alimentados pela seca e pelo vento, os incêndios continuavam a se espalhar nesta quarta-feira da Califórnia ao estado vizinho de Washington, na costa oeste dos Estados Unidos, disparando alertas de evacuação e poluição do ar.

Mais de vinte focos devastaram a Califórnia e quase mil bombeiros combatem o incêndio na região de Fresno, ao norte do estado.

Outro incêndio florestal, o chamado Bobcat Fire, devastou 4.000 hectares e continua fora de controle, apesar do trabalho de 400 bombeiros, informaram as autoridades do condado de Los Angeles. "Estejam preparados e sigam as instruções", disseram eles em mensagem aos moradores da região, que podem ser obrigados a deixar suas casas.

Ordens de evacuação também foram emitidas para o sul da Califórnia, perto de San Diego, onde quase 7.000 hectares foram queimados, de acordo com as autoridades locais. O fogo se espalhou para o norte da Califórnia, Oregon e estado central de Washington.

"Esse tipo de evento acontece uma vez a cada geração", alertou a governadora do Oregon, Kate Brown. "Desde que assumi o cargo de governadora [em 2015], tenho visto temporadas históricas de incêndios", acrescentando que a deste ano é "sem precedentes".

O inferno

Jody Evans, morador da cidade de Detroit, Oregon, disse que "passou por um inferno" ao escapar das chamas que se aproximavam de sua casa. "Fogo nos dois lados da estrada, árvores caídas, vento soprando, cinzas voando", disse ele, descrevendo a cena em um canal de televisão local.

O governador de Washington, Jay Inslee, disse na terça-feira que mais de 130.000 hectares foram engolidos pelas chamas em 24 horas, quase o dobro da área queimada em todo o ano passado. "As condições estão muito secas, muito quentes porque o clima mudou", disse o governador. Ele acrescentou que mais de 100.000 pessoas estavam sem eletricidade.

A pequena cidade de Mazen foi praticamente destruída. O corpo de bombeiros, os correios e a prefeitura "estão totalmente queimados", disse o xerife em um comunicado na terça-feira. "A escala deste desastre não pode ser expressa em palavras", disse o xerife Brett Myers. O fogo vai se apagar, mas a comunidade mudou para o resto da vida.

Recorde

O vento soprou a fumaça na área de Seattle, a maior cidade de Washington, onde o Departamento de Ecologia local emitiu um alerta de poluição do ar. A Califórnia está sob forte calor há vários dias. Os termômetros marcam 49 graus Celsius em Woodland Hills, perto do Condado de Los Angeles, de acordo com o Serviço Meteorológico Nacional.

Em meados de agosto, uma onda de calor já havia atingido a Califórnia, onde a temperatura recorde de 54,4 graus Celsius foi registrada no Vale da Morte. Foi uma das temperaturas mais altas já registradas no planeta.

Neste ano, os incêndios já devastaram 8.000 km2 na Califórnia, uma área sem precedentes desde 1987, e deixaram pelo menos sete mortos em uma temporada longe de terminar.

Os especialistas estão preocupados com o aumento dos ventos costeiros que podem ter rajadas de até 90 km/h nesta quarta-feira. "Simplesmente não temos recursos suficientes para conter todos os incêndios", disse Randy Moore, chefe dos serviços florestais da região sudoeste do país.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895