Inclusão da Ucrânia na Otan é 'impossível' antes do fim da guerra, diz Zelensky

Inclusão da Ucrânia na Otan é 'impossível' antes do fim da guerra, diz Zelensky

O presidente ucraniano pediu aos líderes europeus que reforcem seu apoio ao país

AFP

Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia

publicidade

O presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, reconheceu nesta sexta-feira (2) que será "impossível" a adesão de seu país à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) - algo em que Kiev insiste - antes do fim da guerra com a Rússia.

"Juntar-se à Otan é a melhor garantia de segurança para a Ucrânia [...] mas entendemos que não vamos arrastar um único país da Otan para uma guerra", declarou Zelensky durante uma coletiva de imprensa conjunta com o presidente estoniano, Alar Karis.

"Por isso, entendemos que não nos tornaremos membros da Otan, enquanto essa guerra durar. Não porque não queiramos, mas porque é impossível", acrescentou.

Desde o início da invasão russa da Ucrânia, Zelensky pressiona os vizinhos europeus para que seu país ingresse o mais rápido possível na Aliança Atlântica e na União Europeia.

Na quinta-feira (1º), o presidente ucraniano pediu aos líderes europeus, reunidos em uma cúpula na Moldávia, que reforcem seu apoio à Ucrânia e deixem de lado as "dúvidas" sobre a adesão da Ucrânia à aliança militar.

Embora tenha-se mostrado, em princípio, favorável à eventual adesão da ex-república soviética, a organização ainda não anunciou qualquer calendário a esse respeito, por temer uma escalada com Moscou.

Em abril deste ano, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse que a prioridade para a Ucrânia deveria ser vencer a guerra.

A entidade pretende discutir a questão dessa possível incorporação durante a cúpula que acontece em julho na Lituânia.

Vários países ocidentais já fornecem bilhões de dólares em ajuda militar e financeira para a Ucrânia, crucial para seus esforços de guerra.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895