capa

Inspirada no Liverpool, Theresa May diz que pode conseguir virada improvável no Brexit

Primeira-ministra defendeu que, mesmo que a oposição europeia pareça ter vencido, união pode garantir saída com acordo

Por
Correio do Povo

Fã de críquete, premiê arrancou vaias, aplausos e risadas com sua fala

publicidade

Os parlamentares britânicos tiveram momentos de descontração em meio aos debates acalorados sobre o Brexit nesta quarta-feira. Evocando a virada histórica do Liverpool contra o Barcelona na semifinal da Liga dos Campeões, a primeira-ministra Theresa May disse que também poderia contornar as adversidades e aprovaria seu acordo para a saída do Reino Unido da União Europeia. Sorridente, diferentemente dos vários outros discursos que já deu na Câmara de Comuns, a premiê brincou que, mesmo quando parece que "sua oposição europeia conseguiu vencer", ela ainda conseguira uma vitória improvável.

“Eu realmente acho que quando olhamos para a vitória na noite passada, ela mostra que quando todos dizem que está tudo acabado, o tempo está passando, e é hora de admitir a derrota, na verdade, ainda podemos garantir o sucesso se todos se unirem”, afirmou a ministra, que prefere o críquete ao futebol, arrancando aplausos, vaias e gargalhadas. Com seu prórpio futuro em jogo, enquanto os parlamentares conservadores a pressionam para estabelecer um cronograma para sua saída como primeira-ministra, tenha ou não conseguido um acordo de retirada, sua fala foi uma resposta ao oposicionista Jeremy Corbyn.

Mais cedo, o líder trabalhista, afirmara que ela deveria pedir ajuda à equipe sobre como reverter situações situações difíceis. "Tendo em vista a incrível performance de Liverpool na noite passada, talvez a primeira-ministra possa pegar algumas dicas com Jürgen Klopp (técnico alemão do time) sobre como obter um bom resultado na Europa". Justin Madders, também trabalhista, brincou que o primeiro-ministro também pode receber "dicas de Ole Gunnar Solskjaer e Pep Guardiola sobre sair da Europa em abril". Eles são treinadores do Manchester United e Manchester City, já eliminados do torneio.

O comentário gerou revolta na cidade portuária, um antigo reduto trabalhista. Fãs dos Red acusaram a primeira-ministra, cuja popularidade no local é baixam, de se comparar à equipe. Geograficamente e politicamente, Liverpool é uma cidade à beira da Grã-Bretanha. Antigamente o grande porto do Império Britânico, perdeu 80 mil empregos entre 1972 e 1982, quando as docas fecharam e seu setor manufatureiro encolheu 50%. Em 1984, a esquerda, que se opunha fortemente a Margaret Thatcher, buscou emancipação.

Em meio à indefinição sobre como se dará a saída do bloco europeu, o governo do Reino Unido confirmou que participará no próximo dia 23 das eleições que definirão os novos integrantes do Parlamento Europeu. Segundo o vice-premiê britânico David Lidington, a equipe da primeira-ministra Theresa May constatou que "não há tempo suficiente" para que Câmara dos Comuns ratifique o acordo do Brexit.