Justiça autoriza que Congresso exija documentos financeiros de Trump

Justiça autoriza que Congresso exija documentos financeiros de Trump

Democratas acusam presidente dos EUA de inflar valor de bens para inflar empréstimos

Por
AFP

Casa Branca denuncia assédio político contra Trump


publicidade

Uma corte de apelações dos Estados Unidos rejeitou nesta quarta-feira um recurso do presidente Donald Trump contra uma decisão prévia da Justiça que autoriza o Congresso a exigir seus documentos financeiros. O advogado Jay Sekulow, citado pela imprensa americana, anunciou imediatamente que levará a questão à Suprema Corte.

A decisão envolve os assuntos financeiros de Trump antes e após sua eleição como presidente, em um período que vai de 2011 a 2018. Os democratas afirmam que Trump inflou o valor de seus bens para obter empréstimos, e também o acusam de ocultar supostos conflitos de interesse.

Diante das suspeitas, uma comissão da Câmara de Representantes ordenou em abril à antiga empresa contábil de Trump, a Mazars, o envio de uma série de documentos financeiros do atual presidente. A Casa Branca, que denuncia "assédio" político, recorreu à Justiça para bloquear a determinação da Câmara, como já havia feito diante de outros requerimentos do Congresso. Na quarta-feira, a corte de apelações se negou a revisar o caso.