Justiça belga reabre caso que pode estar ligado a suspeito do desaparecimento de Maddie McCann

Justiça belga reabre caso que pode estar ligado a suspeito do desaparecimento de Maddie McCann

Morte de Carola Titze, de 16 anos, será novamente investigada

AFP

Justiça belga reabre caso que pode estar ligado a suspeito do desaparecimento de Maddie McCann

publicidade

A Justiça belga decidiu reabrir a investigação sobre o assassinato de uma adolescente alemã na Bélgica em 1996, devido a uma possível ligação com Christian Brueckner, o novo suspeito no caso do desaparecimento da britânica Madeleine McCann em Portugal em 2007.

Carola Titze, uma adolescente alemã de 16 anos, foi encontrada morta, com o corpo mutilado, em julho de 1996, em Le Coq (De Haan, em flamengo). A Promotoria de Bruges (noroeste) "reabriu, de fato, o processo referente a esse assassinato", disse nesta quinta-feira uma porta-voz da Promotoria, Fien Maddens, sem mais detalhes.

Na época, Carola Titze passava férias com seus pais em Le Coq e, após a descoberta de seu corpo, a investigação foi direcionada a um suspeito alemão de vinte e poucos anos, com quem a vítima saíra pouco tempo antes de sua estadia. Este último se gabara de seu passado criminoso, segundo a mídia belga, mas jamais foi encontrado.

Após a identificação de um novo suspeito alemão no caso Maddie, o juiz de investigação belga encarregado na época do processo Titze, Paul Gevaert, estimou que "havia certamente um elo a ser investigado". "A descrição (deste alemão, Christian B., hoje com 43 anos) coincide. O fato de ele estar em Portugal há tanto tempo explicaria por que nunca o encontramos", disse ao jornal De Standaard o juiz, agora aposentado. A investigação foi encerrada em 2016.

No caso Maddie, a polícia alemã anunciou em 3 de junho que está investigando um novo suspeito, Christian B., atualmente encarcerado em Kiel, no norte da Alemanha, por tráfico de drogas. Agora, ele é suspeito do assassinato da menina britânica que tinha 3 anos quando desapareceu em Portugal, em maio de 2007, um caso cercado de mistério que passou por muitas reviravoltas.

Paralelo e desaparecimento em Portugal 

Brueckner, pedófilo reincidente, teve que ser colocado em uma cela solitária por motivos de segurança. Ele se recusa a falar sobre o caso Maddie, segundo afirmou um de seus advogados a um canal de notícias alemão. A Justiça alemã também indicou estudar um possível paralelo entre o desaparecimento de uma menina há cinco anos na Alemanha e o de Madeleine McCann.

Além disso, em Portugal, o padrasto de uma menina de 8 anos que desapareceu em 2004 pediu à imprensa que as autoridades investigassem o homem por este caso, que nunca foi esclarecido. A pequena Joana Cipriano desapareceu em setembro de 2004 na vila de Figueira, não muito longe da Praia da Luz, no Algarve (sul), onde Maddie desapareceu em 3 de maio de 2007. Ela também nunca foi encontrada.

Procurada pela reportagem em Lisboa, a polícia judicial ainda não respondeu. Na terça-feira, o Ministério Público português explicou que tinha sido capaz de vincular o suspeito alemão a outros casos em Portugal, mas não mencionou o desaparecimento de Joana.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895