Morre última mulher sobrevivente do século 19, aos 124 anos

Morre última mulher sobrevivente do século 19, aos 124 anos

Francisca Susano, das Filipinas, morreu antes de ser reconhecida como a pessoa mais velha do mundo pelo livro dos recordes

R7

Sua longevidade recorde foi atribuída à dieta predominantemente vegetariana e à abstinência de álcool

publicidade

Francisca Susano, considerada a pessoa mais velha do mundo e a última mulher viva a nascer no século 19, morreu na última segunda-feira, aos 124 anos. O falecimento da supercentenária filipina foi confirmado por sua cidade natal de Kabankalan, em Negros Ocidental.

“É com grande tristeza que recebemos a notícia de que nossa querida Francisca Susano faleceu na madrugada desta segunda-feira”, postou o governo estadual em sua conta oficial no Facebook. 

Autoridades de saúde ainda não determinaram a causa da morte de Susano. Os oficiais de informação da cidade relataram que ela não apresentou nenhum sintoma do coronavírus antes de morrer.

Em setembro, o Guinness World Records (livro dos recordes) ainda estava verificando os documentos de Francisca Susano, mas ela morreu antes que eles tivessem a chance de reconhecê-la como a pessoa mais velha do mundo. Uma vez verificada, ela deixaria para trás Jeanne Calment da França, que morreu em 1997, aos 122 anos.

Sua longevidade recorde foi atribuída à dieta predominantemente vegetariana e à abstinência de álcool, relatou em entrevista ao veículo britânico Metro. Ela também tocava gaita todas as manhãs e afirmava que o exercício mantinha seus pulmões fortes e saudáveis.

Veja Também


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895