Mustapha Adib, embaixador na Alemanha, é eleito o novo primeiro-ministro do Líbano

Mustapha Adib, embaixador na Alemanha, é eleito o novo primeiro-ministro do Líbano

Diplomata tem missão de comandar o país em meio a intensos protestos

AFP e Correio do Povo

Ele é há duas décadas é conselheiro do ex-primeiro-ministro bilionário Najib Mikati

publicidade

O embaixador do Líbano na Alemanha, Mustapha Adib, foi eleito primeiro-ministro depois de receber o maior número de votos nas consultas parlamentares organizadas pelo chefe de Estado, Michel Aoun, anunciou nesta segunda-feira a presidência libanesa. A nomeação do diplomata, de 48 anos, foi anunciada em um comunicado divulgado pela televisão estatal. O premiê está reunido na região de Beirute com o presidente Aoun e o porta-voz do Parlamento, Nabih Berri.

Adib recebeu os votos de 90 parlamentares de 120 possíveis, conquistando o apoio do Hezbollah e seus aliados, o Movimento Patriótico Livre e o Movimento Amal, além do Movimento Futuro do ex-primeiro-ministro Saad Hariri e vários blocos menores. Ele disse que não era mais hora de palavras e promessas.

"É hora de trabalhar para unir esforços e dar as mãos, para restaurar a esperança entre os libaneses. Pela graça de Deus Todo-Poderoso, esperamos ter sucesso na seleção de profissionais com experiência comprovada e eficiência para implementar as reformas financeiras e econômicas necessárias", afirmou a repórteres.

"A tarefa que aceitei se baseia no fato de que todas as forças políticas são conscientes da necessidade de formar um governo em tempo recorde e de começar a a aplicar as reformas, tomando como ponto de partida um acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI)", disse em um discurso exibido na televisão.

Dezessete deputados votaram em outros candidatos, incluindo 14 votos das Forças Libanesas para o juiz do Tribunal Internacional de Justiça Nawaf Salam. Cerca de uma dúzia de parlamentares não votou em ninguém ou não compareceu. Assim como seu antecessor Hassan Diab, que foi citado por uma margem menor pelo establishment do país após protestos antigovernamentais sem precedentes que derrubaram um governo no ano passado, Adib é pouco conhecido do público.

Ele é embaixador do Líbano na Alemanha desde 2013, há duas décadas é conselheiro do ex-primeiro-ministro bilionário Najib Mikati e é visto como próximo dos principais partidos do país. As consultas vinculativas de segunda-feira entre o Presidente Michel Aoun e parlamentares totalizaram pouco mais do que um carimbo de borracha sobre uma decisão que foi discutida entre os líderes sectários do país na preparação para a segunda visita do presidente francês Emmanuel Macron a Beirute em menos de um mês.

Após a devastadora explosão no porto de Beirute, em 4 de agosto, que provocou pelo menos 188 mortes, a comunidade internacional aumentou a pressão sobre os políticos libaneses para que adotem um programa ambicioso de reformas em um país que enfrenta uma profunda crise política, econômica e social.

 

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895