Navio militar russo afunda após colisão no Mar Negro

Navio militar russo afunda após colisão no Mar Negro

Tripulação foi resgatada pela Guarda Costeira turca

AFP

Navio russo colidiu com embarcação de transporte de carga aberto

publicidade

Um navio espião da Marinha russa colidiu nesta quinta-feira com outro barco perto do litoral da Turquia, no Mar Vermelho, e afundou, mas a tripulação conseguiu ser resgatada, informaram as agências de notícias russas e a Guarda Costeira turca. "Um navio dos serviços de informação da frota do Mar Negro, o 'Liman', sofreu uma brecha (no casco) provocada por uma colisão com outro navio, o 'Ashot-7', 40 km a Noroeste do Estreito de Bósforo, segundo um comunicado, que afirma ainda que a tripulação foi resgatada e está a salvo.

Os serviços da Guarda Costeira mobilizaram embarcações no lugar do naufrágio. Segundo a imprensa turca, 78 pessoas se encontravam a bordo do navio de guerra russo que colidiu com um barco de transporte de gado diante da cidade costeira de Kilyos, na entrada do Estreito de Bósforo. O canal turco NTV reportou que o navio transportava gado e sofreu apenas danos menores, e que poderá retomar sua viagem depois de uma inspeção.

A agência de notícias turca Dogan indicou que, no momento do choque, a zona onde ocorreu o acidente estava tomada por uma espessa neblina, e por isso o ocorrido teria sido acidental. No momento, não se sabe qual era a rota marítima do navio russo, especializado na coleta de informações. O "Liman" é um navio de investigação científica que entrou em serviço em 1970 e foi acondicionado por Moscou como navio espião para recolher informações.

Em fevereiro, fontes militares indicaram à imprensa russa que o navio observaria os exercícios da Otan no Mar Negro. Dezenas de navios militares russos passam todos os anos pelo Estreito de Bósforo, via de enlace entre o Mar Negro e o Mediterrâneo. A Convenção de Montreux, assinada em 1936, autoriza a livre circulação através do Bósforo e de Dardanelos para navios de todos os países, salvo aqueles que se encontrem em guerra com a Turquia.



Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895