Neonazista alemão confessa assassinato de político pró-imigrantes
capa

Neonazista alemão confessa assassinato de político pró-imigrantes

Homem de 45 anos afirmou que atuou sozinho no crime

Por
AFP

Ministro Horst Seehofer afirmou que a investigação sobre o "assassinato político" continua e que as autoridades procuram possíveis cúmplices

publicidade

Um neonazista alemão confessou o assassinato de um político favorável aos imigrantes, membro do partido da chanceler Angela Merkel, anunciou nesta quarta-feira o ministro do Interior, Horst Seehofer. O suspeito, de 45 anos que já havia sido condenado em 1993 por um ataque com explosivos contra um centro de abrigo de estrangeiros, afirmou que atuou sozinho.

• Angela Merkel quer endurecer luta contra os neonazistas

Stephan Ernst foi detido após o assassinato de Walter Lübcke, representante local da União Democrata Cristã (CDU) de Hesse. O neonazista estava fora dos radares dos serviços de inteligência há vários anos. O ministro afirmou que a investigação sobre o "assassinato político" continua e que as autoridades procuram possíveis cúmplices. Também prometeu novas medidas para lutar contra a extrema-direita.

Lübcke, alto funcionário do governo local, 65 anos, foi encontrado morto em 2 de junho em sua casa em Wolfhagen, nas proximidades de Kassel (oeste). Ele ficou famoso por defender a decisão da chanceler alemã de abrir as portas do país em 2015 a centenas de milhares de demandantes de asilo. A notícia do assassinato foi celebrada em comentários de ódio nas redes sociais na Alemanha, mas condenado com veemência por todos os partidos