Novas centrífugas previstas no Irã são "muito preocupantes", afirmam países europeus

Novas centrífugas previstas no Irã são "muito preocupantes", afirmam países europeus

França, Alemanha e Reino Unido pediram a Teerã que "não coloque em risco a importante oportunidade de volta à diplomacia que representa a chegada da nova administração americana"

AFP

MInistros iranianos em reunião

publicidade

Os planos do Irã de instalar três novas centrífugas avançadas em Natanz, a principal central de enriquecimento de urânio do país, são "muito preocupantes", afirmaram França, Alemanha e Reino Unido em uma declaração conjunta. Segundo os termos do acordo nuclear iraniano assinado em 2015 em Viena, que Paris, Berlim e Londres tentam preservar apesar da saída dos Estados Unidos, o Irã não está autorizado a utilizar centrífugas tão sofisticadas.

Os três países europeus pediram a Teerã que "não coloque em risco a importante oportunidade de volta à diplomacia que representa a chegada da nova administração americana". O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que é favorável a um retorno do país ao acordo, caso as autoridades iranianas "respeitem de maneira estrita" os limites impostos a seu programa nuclear.

O acordo foi assinado em 2015 e contemplava o gradual desmantelamento do programa nuclear iraniano em troca do progressivo cancelamento das sanções econômicas contra Teerã. Mas o acordo ficou à beira do colapso com a decisão do presidente americano, Donald Trump, de sair do pacto e do consequente retorno das sanções.

Veja Também

 

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895