Papa aceita renúncia de cardeal francês absolvido de acobertamento de pedofilia
capa

Papa aceita renúncia de cardeal francês absolvido de acobertamento de pedofilia

Casos ocorreram entre os anos de 1971 e 1991

Por
AFP

Absolvido de acobertamento de pedofilia, cardeal Philippe Barbarin pediu renúncia

publicidade

O Papa Francisco aceitou a renúncia do arcebispo de Lyon, o cardeal Philippe Barbarin, questionado por seu silêncio diante dos abusos sexuais de um ex-sacerdote de sua diocese, acusação da qual foi absolvido na justiça, anunciou nesta sexta-feira a Igreja Católica.

Pouco depois de ser absolvido pelo tribunal de apelação de Lyon em 30 de janeiro, Barbarin anunciou que colocava novamente a disposição do Papa sua renúncia, para permitir "virar a página" nesse caso muito simbólico sobre a pedofilia e seu acobertamento dentro da Igreja. 

"Essa renúncia não é uma surpresa. Ele anunciou, renunciou. De todo os modos, sentimos que vivemos um momento muito importante para a diocese", declarou o monsenhor Michel Dubost, administrador apostólico que se ocupa da gestão diária da diocese de Lyon, no centro-oeste da França, desde que Barbarin se afastou.

O prelado de 69 anos foi acusado por não ter denunciado à justiça as agressões cometidas pelo então sacerdote Bernard Preynat contra jovens escoteiros, entre 1971 e 1991.