Partido Trabalhista britânico se une a boicote publicitário ao Facebook

Partido Trabalhista britânico se une a boicote publicitário ao Facebook

Legenda reivindica que rede social se envolva mais em ações contra os discursos de ódio na internet

AFP

Legenda reivindica que rede social se envolva mais em ações contra os discursos de ódio na internet

publicidade

O Partido Trabalhista britânico decidiu aderir ao boicote publicitário contra o Facebook para exigir que a rede social se envolva mais na luta contra os discursos de ódio.

"Todos os deputados do Partido Trabalhista utilizam o Facebook para passar a nossa mensagem, mas no momento paramos de fazer publicidade no Facebook", declarou Rachel Reeves, uma das lideranças da formação, à BBC.

De acordo com o jornal Sunday Times, o líder do Partido Trabalhista, Keir Starmer, decidiu organizar um "boicote total" da publicidade da formação política no Facebook em solidariedade ao movimento "Black lives matter".

O jornal afirma que o partido gastou mais de 1,2 milhão de libras (1,52 milhão de dólares) em publicidade na rede social em sua última campanha para as legislativas de 12 de dezembro do ano passado. Esta é uma maneira de "pressionar o Facebook" para que a rede social se envolva mais contra a "delinquência e os discursos de ódio", declarou Rachel Reeves.

O Partido Trabalhista adere assim à campanha #StopHateForProfit, que foi adotada por empresas como Adidas, Levi's, Coca-Cola e Starbucks, iniciada há algumas semanas nos Estados Unidos por organizações de defesa dos direitos humanos após as manifestações contra o racismo e a violência policial.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895