Pentágono demonstra preocupação com ameaças de Trump para conter protestos nos EUA

Pentágono demonstra preocupação com ameaças de Trump para conter protestos nos EUA

Presidente sugeriu usar o Ato de Insurreição, que permite a utilização de força militar para evitar a desordem

Correio do Povo

Em Los Angeles, Guarda Nacional foi acionada para conter protestos

publicidade

Oficiais da Defesa norte-americana, que trabalham no Pentágono, expressaram nesta terça-feira preocupação com as ameaças do presidente Donald Trump para conter a série de protestos que têm ocorrido em diversas cidades do Estados Unidos. O chefe de Estado anunciou que está pronto para autorizar o uso de força militar para garantir ordem em solo americano. As informações são da rede de notícias CNN

Em sua fala, Trump foi claro e deu um aviso a governadores e prefeitos de cidades que estejam registrando distúrbios relacionados à morte de George Floyd, um negro morto por asfixia por um policial branco em Minneapolis. Se os líderes estaduais e municipais se recusarem a tomarem atitudes para defender a vida e a propriedade dos moradores da região, ele irá invocar o Ato de Insurreição, datado de 1807, que é uma lei que permite que o presidente use militares norte-americanos para coibir a desordem civil. 

Conforme a CNN, alguns oficiais do Pentágono têm tentado responder à situação alegando que o caso ainda não obriga o presidente a chamar forças militars da ativa. Segundo essas fontes, a convocação de soldados só seria necessária se um governador argumentasse que as tropas são extremamente necessárias. 

Um oficial da Defesa consultado pela CNN afirmou que o desejo é por resolver a situação com o auxílio das polícias locais. Na avaliação de alguns integrantes do Pentágono, já há um desconforto pelo uso da Guarda Nacional, que nunca tinha sido tão acionada como agora. 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895